sexta-feira, 27 de maio de 2022

As embalagens e o e-commerce - Assunta Napolitano Camilo é diretora do Instituto de Embalagens

 

Uma reportagem publicada pela Revista Exame, de fevereiro de 2022, mostra que o e-commerce deve movimentar 500 bilhões de reais no Brasil até 2025, de acordo com o índice MCC-ENET, um estudo feito em parceria formada entre a Neotrust (antiga empresa Compre & Confie) e a camara-e.net.

Este é o primeiro indicador a fazer um acompanhamento do desempenho do comércio varejista online brasileiro, revelando ainda que o comércio eletrônico apresentou alta de 48,41% em 2021, na comparação com 2020.

E o mercado brasileiro de e-commerce deve aumentar 95% até 2025, chegando a um faturamento de US$ 79 bilhões, de acordo com o relatório The Global Payments Report 2022, divulgado pela FIS, líder global em tecnologia para serviços financeiros com foco em varejo e instituições bancárias, além de ser referência no mercado de pagamentos.

A previsão é de que o ritmo de crescimento seja o dobro do mercado mundial, para o qual a expectativa é de uma alta de 55,3%, atingindo mais de US$ 8 trilhões em valor de transações.

Um estudo completo da Cupom Válido, de abril de 2022, revela as preferências dos consumidores brasileiros nas compras pela internet. No início da pandemia, com o lockdown por todo o Brasil e a impossibilidade de comprar em lojas físicas, a única opção dos consumidores brasileiros era o canal de compras das lojas virtuais. Com isso, o e-commerce teve um aumento de 68% nas vendas.

A surpresa veio mesmo após a reabertura das lojas físicas, em que o volume de vendas online não caiu. Pelo contrário, a expectativa é de que neste ano elas tenham um aumento de 132% em comparação com o período pré-pandemia. É o que revela um estudo realizado pela plataforma CupomValido e Statista sobre o consumo online no Brasil.

Apesar do forte crescimento, as vendas online representam 9,6% do volume de vendas totais - o que mostra que as vendas pela internet possuem um potencial de crescer ainda mais nos próximos anos.

Uma informação que todos esses estudos não destacam é que, com o crescimento das vendas via e-commerce, aumenta também o uso de embalagens para melhor acondicionar os produtos comprados de modo a garantir sua integridade até sua chegada às mãos do consumidor.

Temos acompanhado as embalagens para acomodar este comércio intenso. Muitas opções têm surgido, como embalagens flexíveis multicamadas, e com preto intenso na parte interna que ajuda a ocultar o produto. Exemplo de e-commerce que migrou de caixas de papelão ondulado para as plásticas flexíveis são as de rede de farmácias e moda (vestuário).

A embalagem para e-commerce tem um papel fundamental de oferecer uma experiência única no momento da entrega do produto ao consumidor. Afinal, como diz um famoso ditado, a primeira impressão é a que fica.

Em uma experiência presencial, o consumidor compra com os olhos, por isso as embalagens têm papel fundamental na decisão do que vai para o seu carrinho. O atendimento dessa demanda pede a valorização dos sentidos: o tátil, com texturas e relevos; o visual, com formas e transparências; o olfativo, com aromas; o gustativo, com appetite appeal; e o auditivo, com sonoridade.

Do uso até o momento de descarte, o cliente passa bastante tempo com o produto e descobre se ele é fácil de abrir, se pode ser reutilizado, se tem rotulagem ambiental, que agregam pontos positivos na experiência de compra.

Quando o consumidor faz uma compra online, ele espera que o seu pedido seja entregue com segurança e eficiência. A principal função da embalagem, neste caso, é proteger o produto durante o transporte.

Quando a compra é feita online a embalagem pode impactar positivamente duas vezes: quando o consumidor se encanta, clica e fecha a compra; e depois no momento que ele recebe a "encomenda", daí pode impressionar efetivamente.

A Cholocolat du Jour foi uma destas empresas que resolveram reforçar a sua marca por onde a embalagem passava, com mensagens atraentes e lúdicas surpreendem por onde passam e, ao abrir o consumidor fica encantado com o story telling impresso no interior da caixa. Experiência de "unboxing" inesquecível.

Outros exemplos de empresas (marcas) têm incrementado suas embalagens são Alpargatas e Divina Pharma com embalagens personalizadas e impressão interna com efeito-surpresa. A da Havaianas serve, inclusive, para guardar as sandálias para viagens, como uma gaveta.

A embalagem do perfume Pedra Preciosa manteve a parte externa em branco, o que, além de evitar roubos, cria um clima de suspense e mistério e depois uma experiência de unboxing especial ao encontrar mensagens e ilustrações impressas na parte interna, arrancando dos clientes um: "uau!".

Abrir uma embalagem de um presente ou mesmo de uma encomenda feita por você mesmo pode ser uma experiência que ficará gravada na sua memória para sempre. Quem já recebeu um bilhetinho dentro da embalagem com uma frase simpática ou mesmo um brinde que complementa ou incrementa o produto, por exemplo, um mouse pad quando compra um mouse, ou um suporte de lap top quando compra o produto?

A Positivo fornecia uma embalagem em papelão ondulado que era uma maleta, de tal forma que você pudesse usar para transportar seu lap top bem protegido. A Swift tem uma embalagem especial para um kit-churrasco, também em formato de maleta que pode ser reutilizada para outros fins. A embalagem da Wine and Bites entrega um kit com aperitivos e vinho harmonizado numa embalagem com alças que facilita o transporte na horizontal, sem que os itens colidam.

A impressão digital permite hoje embalagens personalizadas. Podemos também utilizar tecnologias disponíveis como o QRCode e até mesmo inovar, incluindo a Realidade Aumentada (RA) que pode encantar e levar seus clientes a outras experiências incríveis.

Ainda encontramos muitas embalagens mal resolvidas, pouco otimizadas, que desperdiçam a oportunidade de surpreender seus consumidores. Espaço para os bons profissionais de embalagens sugerirem propostas de boas embalagens, que protejam, entreguem valor e surpreendam os consumidores no momento de abri-las.

Impossível deixar de falar da icônica marca Giuliana Flores que sempre se preocupou em proteger suas flores e sua marca, escolhendo boas e belas embalagens, tornando o momento de receber esses produtos tão mágico quanto se fossem entregues pessoalmente!

Embalagem melhor protege, encanta e faz o mundo melhor!

Sobre o Instituto de Embalagens
Fundado em 2005, o Instituto de Embalagens atua na formação e capacitação de profissionais da cadeia de embalagens. O trabalho consiste na coordenação e realização de cursos, encontros, treinamentos e publicações técnicas.

Desde a criação do Kit de Referências de Embalagens, primeiro material didático do Instituto, a entidade já publicou 21 livros e realizou 97 cursos e 133 eventos, com a participação de 14.443 mil profissionais.

A crença do Instituto de Embalagens é de que melhores embalagens promovem um mundo melhor.



Terphane participa de projeto da Braskem para o desenvolvimento de embalagens com resinas recicladas pós-consumo (PCR)


O projeto conta ainda com a participação dos
convertedores Antilhas e Gualapack.

São Paulo, maio 2022 – A Terphane (www.terphane.com), líder em filmes PET (poliéster) na América Latina e um importante player global com operações no Brasil e Estados Unidos, é uma das empresas parceiras da Braskem num projeto que prevê o desenvolvimento de stand-up pouches (SUP), para uso não alimentício, a partir dos filmes sustentáveis da linha PCR Ecophane® feitos com até 30% de poliéster reciclado pós consumo. O projeto nasceu do compromisso da Braskem em ajudar os brand owners a atingirem suas metas de sustentabilidade. As outras duas empresas participantes são Antilhas e Gualapack.

A produção dos SUP começa com o envio das resinas de PE PCR (polietileno com reciclado pós-consumo) da Braskem, junto com um filme de poliéster com material reciclado pós consumo da linha Ecophane®, da Terphane, para a Antilhas, que é responsável pela conversão da embalagem (laminação e impressão). Após a conclusão desta etapa, a estrutura da embalagem é encaminhada para a Gualapack que formata o pouch e injeta o bico e a tampa, também produzidos com material reciclado pós-consumo.

A colaboração para desenvolver esta tecnologia, a partir de PCR, resultou na produção de um material com 43,3% de conteúdo pós-consumo (r-PE + r-PET), gerado em duas linhas de produção, além da logística reversa de embalagens da Braskem e do polietileno de alta densidade (PEAD) de aterros sanitários.

Segundo a Terphane, em 2021 foram utilizadas 1.000 toneladas de resinas PET PCR (recicladas pós consumo), grau alimentício, na produção de filmes da linha Ecophane®. Ou seja, por este processo de circularidade foram consumidas mais de 45 milhões de garrafas PET de 1 litro descartadas após o consumo.

“Este projeto com a Braskem, Antilhas e Gualapack é um exemplo extremamente bem-sucedido de desenvolvimento colaborativo. Fica cada vez mais claro que a união de diversos players é a chave para o sucesso de ações de sustentabilidade. E todos saem ganhando, em especial os brand owners, que passam a oferecer alternativas mais sustentáveis para seus consumidores, e a sociedade, que se sente parte do processo de reciclagem, contribuindo com o meio ambiente. O que seria lixo é transformado em matéria-prima e retorna para o consumo, dentro de um conceito de Economia Circular”, pontua José Bosco Silveira, Presidente do Grupo Terphane.

André Gani, Diretor de Vendas & Marketing da Terphane, completa: “O desenvolvimento da linha Ecophane® não vai apenas ao encontro das métricas de sustentabilidade estabelecidas pela Terphane, mas atende a uma busca dos brand owners que querem associar suas marcas e produtos a embalagens cada vez mais sustentáveis. Ela é produzida a partir do PET reciclado de garrafas e embalagens e possui ao menos 30% de PCR em sua composição. Ou seja, além de garantir um menor uso de matérias-primas virgens, contribui para a estimular a Economia Circular”.

“Essa parceria reforça nossa contribuição com a economia circular. Atuamos em diversas frentes e em conjunto com empresas altamente qualificadas, de modo a criar produtos mais sustentáveis e que atendam às demandas do mercado. A ampliação do uso de conteúdo reciclado em aplicações de alto valor como essa somente será possível com a união de todos os elos da cadeia”, afirma Américo Bartilotti, Diretor do Negócio de Embalagens e Bens de Consumo da Braskem.

Alan Baumgarten, CEO da Gualapack, destaca que as embalagens foram submetidas aos mesmos protocolos de testes e segurança que as versões feitas com resina virgem, mostrando que estão prontas para atender aos requisitos do mercado. “Após submetermos os pouches a uma bateria de testes de resistência, concluímos que a tecnologia desenvolvida tem boa selagem, o que viabiliza sua aplicação em produtos mais técnicos.’’

A embalagem tem como objetivo ser um primeiro passo do retorno dos insumos reciclados à cadeia de produção, sendo possível sua comercialização em mercados não alimentícios e sem restrição quanto ao uso de resina reciclada pós consumo. “Esta é uma alternativa interessante para marcas que buscam atingir as metas de incorporação de PCR em suas embalagens e que não possuem restrição ao uso deste tipo de material, como produtos de home care’’, completa o CEO da Gualapack.

“A participação da Antilhas neste projeto é mais um passo para ajudar as marcas a alcançarem a meta de ter 100% das embalagens reformuladas, tornando-as aderentes aos desafios listados na agenda de sustentabilidade das principais empresas e alcançando o status de Aterro Zero. Assim como fizemos com o stand up pouch 100% PE, estamos seguindo o nosso DNA e o nosso compromisso com o meio ambiente e com o desenvolvimento de projetos para a sustentabilidade”, afirma Carlos Hugo, Gerente de Desenvolvimento Técnico Comercial da Antilhas.

Sobre a Terphane
Desde a sua fundação em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). Sua equipe possui ampla experiência e conhecimento em produção, revestimento e metalização de filmes. A empresa se destaca ainda por uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até a extrusão de filmes especiais. Esta característica garante um desempenho único aos filmes Terphane e a coloca como líder de mercado na América Latina e um importante player global. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar.


BASF recebe recomendação para certificação de eficiência energética ISO 50001 em Jacareí (SP)

 


O Site de Jacareí decidiu, de forma voluntária, começar com o processo de implementação da norma em março 2021

A promoção de melhoria sustentável dos custos de energia e a redução de impactos ambientais faz parte da estratégia de sustentabilidade da BASF. Prova disso é que a empresa recebeu a recomendação da certificação internacional ISO 50001 de eficiência energética no Brasil, na unidade de Jacareí (SP). Este resultado é consequência do trabalho feito ao longo de muitos anos.

Tudo começou em 2018, quando implementou-se no Site de Jacareí o Programa Triple E (Excelência em Eficiência Energética), uma iniciativa interna cujo objetivo é melhorar a eficiência energética da BASF e que já está presente em 7 localidades da América do Sul. Dentre as 40 ações identificadas por ele, a redução da pressão da caldeira, implementação de tecnologia de luzes LED em toda a parte viária, melhoria nos purgadores de vapor e redução de perdas em duas plantas, foram algumas das iniciativas aplicadas pelo programa na unidade. Desde sua implementação, a localidade atingiu redução de 27% do consumo específico geral até o momento.

As medidas implementadas durante o processo de certificação promoveram resultados bastante positivos e mostram o foco da companhia em sustentabilidade e inovação. "Ficamos extremamente satisfeitos com a recomendação para a certificação, este reconhecimento mostra que possuímos políticas para uso consciente de energia e estabelecemos sistemas e processos de eficiência energética no uso e no consumo. Temos como objetivo continuarmos engajados no processo de consciência de energia por meio dos nossos recursos", comenta Erick Martins, Diretor de Operações de Care Chemicals na América do Sul.

Em 2017, o Complexo Químico de Guaratinguetá foi a primeira unidade a receber o certificado e, com isso, tornou-se primeira grande indústria química do Brasil a ter este reconhecimento. Com a conquista na localidade de Jacareí, a unidade se torna a quinta a receber a certificação na América do Sul. Além delas, já receberam a acreditação o Complexo Acrílico de Camaçari (BA), o Complexo Industrial de Tintas e Vernizes de São Bernardo do Campo (SP) e a Unidade Produtiva de Dispersão, Resinas especiais e extratos de Saponinas, em Concon, no Chile.

Atualmente, a BASF dedica mais de 40% dos investimentos anuais globais com pesquisa e desenvolvimento, e destinam-se a produtos para evitar e reduzir as emissões de gases de efeito estufa, melhorando a eficiência energética e de recursos para a otimização dos processos. Em 2021, a companhia identificou três focos estratégicos que, juntamente com as práticas atuais, têm potencial de redução de 34% das emissões na região.

Sobre a BASF
Na BASF, criamos química para um futuro sustentável. Combinamos sucesso econômico com proteção ambiental e responsabilidade social. Mais de 111.000 colaboradores do Grupo BASF contribuem para o sucesso de nossos clientes em quase todos os setores e em quase todos os países do mundo. Nosso portfólio está organizado em seis segmentos: Químicos, Materiais, Soluções Industriais, Tecnologias de Superfície, Nutrição e Cuidados e Soluções Agrícolas. A BASF gerou vendas de € 78,6 bilhões em 2021. As ações da BASF estão listadas na Bolsa de Valores de Frankfurt (BAS) e como American Depositary Receipts (BASFY) nos Estados Unidos. Mais informações em www.basf.com


quinta-feira, 24 de março de 2022

Instituto Brasileiro do PVC marcará presença na Interplast 2022

                                                                                     


Com tradicional presença no evento, o Instituto estreita a relação com Santa Catarina, especificamente com o importante mercado de Joinville

Entre os dias 5 e 8 de abril, o Instituto Brasileiro do PVC estará presente na Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico 2022, que será realizada em Joinville (SC).

Com a missão de ser a referência para todo e qualquer assunto ligado ao PVC no Brasil, o Instituto estará presente divulgando seu trabalho de promoção e defesa do PVC e suas aplicações.

Segundo explica Alexandre de Castro, presidente do Instituto Brasileiro do PVC, a região Sul é bastante expressiva na produção e consumo do PVC em aplicações diversas e a presença da associação na Interplast reforça ainda mais a atenção que o Instituto tem com relação ao mercado da região. "Um exemplo do estreitamento continuado das relações com Sul do país é a parceria firmada ano passado entre o Instituto e a UNIVILLE, de Joinville, que traz para a grade curricular do curso de Pós Graduação Engenharia e Tecnologia dos Materiais Poliméricos da universidade o módulo Tecnologia do PVC", conta o executivo.

No estande da entidade, os visitantes também poderão conhecer e encomendar o Livro "Tecnologia do PVC", que dá suporte e complementa o trabalho do Instituto junto às universidades e aos profissionais de engenharia. O livro traz um amplo conteúdo sobre os principais temas relacionados ao PVC, como a obtenção desse plástico pelos vários processos de polimerização, características e propriedades das resinas de PVC, aditivos utilizados junto à resina para a obtenção de compostos de PVC, diferentes processos de transformação pelos quais esse material pode passar, além de informações sobre sua reciclagem e sustentabilidade.

SERVIÇO: Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico 2022
Data: entre os dias 5 e 8 de abril
Horário: 13h às 20h
Local: Pavilhão de Exposições Expoville
Estande do Instituto Brasileiro do PVC: 638
Informações no https://www.interplast.com.br

Sobre o Instituto Brasileiro do PVC: O Instituto Brasileiro do PVC é uma associação de classe que existe para representar, defender e difundir os interesses da cadeia produtiva do PVC para o mercado, poder público, academia, entidades nacionais e internacionais, além da sociedade de forma geral, mantendo a individualidade de cada associado e apoiando a integração e o desenvolvimento dessa indústria, fundamentado na postura ética e no respeito ao bem-estar social e ao meio ambiente. Tem como visão consolidar-se como referência legítima e proativa sobre os assuntos relacionados ao PVC, com foco em sua versatilidade, sustentabilidade, eficiência, inovação e qualidade das diversas aplicações. Para mais informações: www.pvc.org.br

quarta-feira, 23 de março de 2022

Adirplast assina compromisso para o futuro dos oceanos

A entidade criou um Comitê de sustentabilidade que tem como objetivo empreender ações durante o ano. A primeira foi a assinatura do Compromisso para o Futuro dos Oceanos

São Paulo, 21 de março de 2022 – A ADIRPLAST (Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins), desde sua criação, tem como bandeira a sustentabilidade. A entidade já é signatária em vários projetos ambientais como, por exemplo, o Pellet Zero e o Tampinha Legal, entre outros. Agora a associação reforça o seu comprometimento criando o Comitê de Sustentabilidade. “O nosso objetivo é intensificar a nossa ação para o uso consciente do plástico e desenvolver diversas ações de incentivo a reciclagem”, explica Laercio Gonçalves, presidente da ADIRPLAST.

Uma das primeiras ações do Comitê foi assinar a carta Compromisso para o Futuro dos Oceanos, da Cátedra UNESCO para Sustentabilidade do Oceano. “Este é um passo importante e essencial no desenvolvimento de um trabalho consistente”, explica Osvaldo Cruz, integrante do Comitê. O documento assinado pela entidade propõe oito pontos fundamentais. A promoção, disseminação e o apoio a ações para a difusão da “Cultura Oceânica”. A ideia é de chamar a atenção de todos para o Oceano e para o movimento em prol de sua sustentabilidade. Além disso, o programa tem como objetivo contribuir para que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, em especial do ODS 14, sejam atingidos. Colaborar para superação dos desafios da Década do Oceano também está entre os pontos importantes do programa, assim como desenvolver ou incentivar ações que busquem minimizar os impactos negativos do descarte inadequado dos plásticos e que promovam, ao invés disso, uma economia sustentável.

Para reforçar o Comitê, a entidade também conta com a experiência de duas especialistas no assunto. Silvia Piedrahita Rolim, engenheira química e especialista em Gestão Ambiental pela Faculdade de Saúde Pública da USP, e Claudia Veiga, que tem especialização em Administração da Comunicação com o Mercado pela FGV, além de mais de 25 anos de experiência com questões ambientais. Juntas elas irão planejar e colocar em práticas ações de sustentabilidade. “A Adirplast sempre se demonstrou atenta ao tema sustentabilidade e o desejo de fazer algo efetivo que trouxesse contribuições para a sociedade. A partir desse objetivo, estamos idealizando juntos um projeto , a fim de criar um movimento de conscientização e sensibilização da sociedade sobre a importância da ação de cada cidadão na destinação correta dos resíduos e preservação do meio ambiente”, explica Silvia.

Em boa parte, a adesão da Adirplast a projetos ambientais está ligada ao combate a falsa ideia de que a produção do plástico ou de que mesmo o plástico como produto seja o inimigo número um do meio ambiente. “Sabemos da importância do plástico na vida do ser humano, por isso trabalhamos incansavelmente para derrubar o falso mito de vilão que o produto carrega. Nós como empresários e cidadãos estamos trabalhando para trazer novas tecnologias e práticas sustentáveis para o nosso negócio e para toda a sociedade”, explica Cruz.

Além disso, finaliza Gonçalves, presidente da entidade, é preciso que se ressalte que o plástico é um produto 100% reciclável: “Se a embalagem vai parar no oceano é resultado da falta de um sistema eficiente de coleta e recuperação de materiais reutilizáveis e não do plástico, que é um produto de inúmeras qualidades e que nos ajuda a produzir produtos mais higiênicos, leves e duráveis".

A ENTIDADE
A ADIRPLAST tem como diretrizes o fortalecimento da distribuição, o apoio aos seus associados e a integração do setor de varejo de resinas plásticas, filmes biorientados, plásticos de engenharia, masterbatches e compostos Seu objetivo é demonstrar a importância que os distribuidores têm para o setor e para o desenvolvimento do mercado brasileiro de plásticos. A entidade trabalha ainda para promover a imagem sustentável do plástico, estreitar o relacionamento com as empresas produtoras e ajustar o desordenamento tributário sobre a indústria.

Atualmente, a associação agrega empresas distribuidoras de insumos plásticos que, juntas, tiveram um faturamento bruto de cerca de R$ 4,5 bilhões em 2020. Elas responderam por cerca de 12% de todo o volume de polímeros, masterbatches, compostos e filmes biorientados comercializados no país.

Credenciadas pelos fabricantes, essas empresas garantem ao cliente final a qualidade do produto e dos serviços de logística e crédito. Além disso, contam com uma carteira de 7.000 clientes, em um universo de 11.500 transformadores de plásticos no Brasil. Para atendê-los, a entidade emprega cerca de 150 representantes externos e mantém 200 postos de atendimento, contando com equipes de assistência técnica e de pós-venda.

Para mais informações, acesse www.adirplast.org.br e aproveite para cadastrar seu e-mail e receber informações sobre distribuição de resinas plásticas, filmes biorientados, plásticos de engenharia, masterbatches e compostos.

Tigre e UNICEF doam 500 lavatórios para escolas do Norte e do Nordeste

Iniciativa do ICRH, braço social da Tigre, visa contribuir para higiene prevenção em escolas de seis estados

São Paulo, março, 2022 – O Grupo Tigre, multinacional brasileira líder em soluções para construção civil e cuidado com a água, e o UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) estão instalando 500 lavatórios em escolas do Norte e Nordeste de seis Estados em março, mês em que é celebrado o Dia Mundial da Água (22/3).

Dados do Instituto Trata Brasil em parceria com a GO Associados demonstram a urgência de um melhor serviço de água a ser ofertado à população do país – são cerca de 35 milhões de brasileiros sem acesso à água potável (5,5 milhões, nas 100 maiores cidades). Além disso, 100 milhões de pessoas não têm acesso à coleta e ao tratamento de esgotos, sendo 21,7 milhões nos maiores municípios. Em relação à situação do fornecimento às escolas, segundo Censo Escolar 2020, cerca de 24 mil escolas municipais não têm acesso adequado à água no Brasil.


Tigre – Unicef (Foto: Mikael Machado)

“Levar saneamento às escolas é um desafio e a Tigre tem orgulho em poder contribuir com esse projeto. A escolha pelas escolas dessas duas regiões se deu em razão de sua situação mais crítica. Na região Norte, por exemplo, menos de 10% dos colégios têm acesso a serviços públicos de esgoto”, informa Otto von Sothen, presidente do Grupo Tigre.

“Saúde e educação são direitos de cada criança e adolescente. Em parceria com Tigre, contribuiremos para criar ambientes mais saudáveis nas escolas desses seis Estados. Graças à parceria, meninas e meninos terão acesso a mais estruturas de lavagem de mãos, cuidando da saúde e prevenindo doenças”, afirma Juan Calvo, chefe de parcerias e arrecadação de recursos do UNICEF no Brasil.

Sobre o Grupo Tigre
Com uma história com mais de 80 anos, a Tigre é uma multinacional brasileira com forte presença internacional, líder em soluções para construção civil e cuidado com a água. A empresa oferece um amplo portfólio de produtos que atende os mercados predial, de infraestrutura, de irrigação e industrial. Presente em cerca de 30 países, conta com mais de 5 mil funcionários, 5 plantas no Brasil e 12 no exterior em tubos e conexões: Argentina (1), Bolívia (2), Chile (1), Colômbia (1), Equador (1), Estados Unidos (3), Paraguai (1), Peru (1), Uruguai (1). Além de tubos e conexões, fazem parte do Grupo: torneiras e metais sanitários, ferramentas para pintura, serviços e projetos de saneamento e tubulação em PEAD para drenagem e saneamento. Os demais negócios agregam 5 plantas no Brasil e duas no Chile e Peru: Azzo Torneiras ABS (1), Tigre Ferramentas para Pintura (1), Tigre-ADS (Joint-venture com norte-americana ADS de tubulações de PEAD para saneamento e drenagem com 4 plantas), Tigre Metais (segmento de metais sanitários com 1 planta) e TAE – Tigre Água e Efluentes (projetos e serviços de tratamento e reutilização da água e efluentes).

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos. Saiba mais em www.unicef.org.br


quarta-feira, 2 de março de 2022

BASF firma parceria com distribuidora de plásticos de engenharia

 

O negócio de Materiais de Performance da BASF firmou parceria com a Activas para a comercialização dos seus plásticos de engenharia no Brasil. A distribuidora de resinas termoplásticas de origem brasileira passa a oferecer poliamida 6 (PA6), poliacetal (POM) e o tereftalato de polibutileno (PBT) da BASF, materiais utilizados nas indústrias de automobilística, de eletroeletrônicos, energia, equipamentos, bens de consumo, entre outras.

"Além de expandir a oferta do nosso amplo portfólio, ampliando as oportunidades de mercado, essa parceria estratégica fortalece as iniciativas com foco em governança ambiental, social e corporativa (ESG) da BASF, já que a Activas tem programas alinhados aos nossos pilares de atuação sustentável, como neutralidade de carbono, por exemplo", considera Andre Willemart, gerente sênior de soluções para a indústria de Materiais de Performance da BASF.

A BASF também mantém parcerias consolidadas com outros distribuidores no Brasil: a Tecnomatiz Resinas, que comercializa Poliamida 66 (PA66), a Entec Polímeros, para PA66 e PA6 e a Biesterfeld do Brasil para poliuretano Termoplástico (TPU).

No Brasil, a BASF também oferece soluções em plásticos de engenharia e poliuretanos por meio da plataforma de comércio digital shop@BASF. Além da disponibilização de produtos, o espaço reúne informações sobre as aplicações, tendências, orientações técnicas e consultoria com os especialistas da empresa.

Sobre a divisão de Materiais de Performance da BASF
A divisão de Materiais de Performance da BASF engloba sob o mesmo teto todo know-how de materiais da BASF em relação a plásticos inovadores e personalizados. Mundialmente ativa em quatro grandes setores da indústria – transporte, construção, aplicações industriais e bens de consumo – a divisão tem um amplo portfólio de produtos e serviços combinados com um profundo entendimento de soluções de sistema orientadas para a aplicação. A estreita colaboração com os clientes e um grande foco em soluções são os principais fatores de lucratividade e crescimento. A sólida competência em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) fornece a base para o desenvolvimento de produtos inovadores e aplicações. Em 2020, a divisão de Materiais de Performance alcançou vendas globais de €5,63 bilhões. Mais informações on-line em: www.plastics.basf.com .

Sobre a BASF
Na BASF, criamos química para um futuro sustentável. Combinamos sucesso econômico com proteção ambiental e responsabilidade social. Mais de 110.000 funcionários do Grupo BASF contribuem para o sucesso de nossos clientes em quase todos os setores e em quase todos os países do mundo. Nosso portfólio está organizado em seis segmentos: Químicos, Materiais, Soluções Industriais, Tecnologias de Superfície, Nutrição e Cuidados e Soluções Agrícolas. A BASF gerou vendas de € 59 bilhões em 2020. As ações da BASF estão listadas na Bolsa de Valores de Frankfurt (BAS) e como American Depositary Receipts (BASFY) nos Estados Unidos. Mais informações em www.basf.com .