sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Palestra online traz dicas técnicas sobre uso dos sistemas de poliuretanos para calçados da BASF

Conteúdo via internet deve esclarecer principais dúvidas dos fabricantes de calçados

Para facilitar o uso da plataforma digital da BASF de soluções para a indústria calçadista, a empresa vai realizar, no próximo dia 13 de agosto, uma palestra online, que trará dicas e orientações técnicas. O formato via internet foi escolhido para levar aos usuários o conteúdo com maior comodidade. O especialista para o mercado de calçados, Paulo Horie, vai abordar temas técnicos sobre o uso do material, como deve ser o ajuste da máquina e como solucionar os problemas mais comuns. A apresentação começa às 9h30. Para participar, é preciso fazer inscrição pelo link: http://basf.izap.com.br/login. O tema do webinar foi escolhido pelos clientes, por votação.

A plataforma da BASF, www.shop.basf.com.br/calcados, é uma ferramenta online, de interface amigável, que dá acesso aos sistemas de poliuretano de acordo com as necessidades do fabricante. Os materiais disponíveis são adequados para a produção de saltos, solas, entressolas, palmilhas e outros componentes, que conferem aos calçados uma melhor performance, conforto e durabilidade, atendendo às tendências e demandas dos consumidores.

Além do apoio técnico, entre os principais benefícios está a possibilidade de aquisição de embalagens menores e a flexibilidade no prazo de pagamento. Há mais de quarenta anos, a BASF é uma das principais fornecedoras de materiais para a indústria calçadista e colabora diretamente com fabricantes durante o processo de desenvolvimento.

terça-feira, 30 de julho de 2019

Grupo Cartonplast consolida suas operações no Brasil em parceria pioneira com a Casa Valduga

CPL, empresa do Grupo Cartonplast, é a nova fornecedora de separadores plásticos para o transporte de garrafas de vinho e espumante de uma das vinícolas mais importantes do país

Separadores Plásticos CPL

Jacareí, julho de 2019 - A CPL - líder mundial no segmento de locação, higienização e gestão logística de separadores plásticos utilizados no transporte e acondicionamento de garrafas de vidro e latas de alumínio - inicia parceria pioneira com a Casa Valduga, uma das vinícolas mais importantes da serra gaúcha e líder no segmento de vinhos e espumantes de luxo. Através de uma iniciativa conjunta entre as empresas, o principal objetivo é implementar um modelo de negócio que siga rígidas normas de qualidade dentro de um padrão mundial de higiene e segurança alimentar.

As garrafas, produzidas por uma das maiores fabricantes mundiais de embalagens de vidro para alimentos e bebidas - com sede em São Paulo e fábrica no Rio Grande do Sul -, passam a ser fornecidas exclusivamente para a Casa Valduga embaladas em forma de camadas sobre pallets e protegidas por separadores plásticos fornecidos pela CPL. Após utilizados, os separadores plásticos são coletados, selecionados, higienizados, inspecionados e finalmente devolvidos pela CPL para serem novamente reutilizados no processo de embalagem das garrafas.

Desde a sua fundação, em 1875, a Casa Valduga sempre esteve na vanguarda da indústria em termos de investimento, tecnologia e uso de processos e equipamentos. "A inovação está presente no DNA do Grupo Famiglia Valduga desde os primórdios de sua fundação. Oferecer ao consumidor produtos de alta qualidade, que proporcionam prestígio e experiências inovadoras é uma premissa constante", conta Daniel Dalla Valle, Enólogo e Diretor Técnico da Casa Valduga.

Com mais de 30 anos de experiência na gestão de materiais de embalagem reutilizáveis, o Grupo Cartonplast é especializado na entrega, coleta, seleção e limpeza de separadores plásticos. No Brasil, o grupo multinacional alemão está presente através de sua subsidiária, a CPL, que tem como objetivo replicar e ampliar o modelo de negócio da empresa, amplamente consolidado na Europa e em diversos países da Ásia e África. "Buscamos parcerias duradouras com empresas que estejam sempre na vanguarda da tecnologia e enxergamos nesta parceria com a Casa Valduga uma grande oportunidade de melhoria de qualidade, tanto em termos de higiene e segurança alimentar, como também no quesito sustentabilidade", reforça Elcio de Moura, Diretor Geral da CPL no Brasil. 

A parceria contará com o fornecimento de separadores plásticos que substituirão os tradicionais separadores de madeira, que são utilizados no processo de embalagem, transporte e acondicionamento das garrafas de vidro utilizadas pela vinícola para o envase de vinhos e espumantes. "Estamos sempre atentos para evoluir nossos processos produtivos, do vinhedo até a casa de nosso consumidor e, ao implementar a padronização internacional no sistema de embalagens de nossas garrafas, agregamos melhorias em qualidade, higiene, produtividade e sustentabilidade", finaliza Dalla Valle.

Na Europa e América do Norte, os separadores plásticos utilizados nos sistemas de embalagem de garrafas de vidro já se tornaram um padrão há algumas décadas e, no Brasil, o mercado começou - finalmente - a aceitar suas vantagens econômicas e ambientais. "O Brasil é um mercado em crescimento e extremamente importante para a CPL. Estamos muito satisfeitos em expandir nossa presença no mercado brasileiro e oferecer serviços de alta qualidade", acrescenta Moura.

Os separadores plásticos são produzidos a partir de Polipropileno (PP), substância inerte e que possibilita a higienização através dos processos de limpeza desenvolvidos pela CPL, antes de sua posterior reutilização. Desta maneira, o material pode entrar em contato com as bocas das garrafas, pois a higienização assegura um produto livre de contaminações. Além disso, os separadores plásticos são retornáveis e podem ser utilizados diversas vezes, reduzindo os descartes frequentes que ocorrem atualmente com os separadores de madeira.

Outro fator importante na utilização dos separadores plásticos é que são 100% recicláveis e, após expirar sua vida útil, são transformados novamente em matéria-prima para produção de novos separadores plásticos, mantendo - ainda assim - a mesma qualidade de um produto produzido com a matéria-prima virgem. Por fim, sua produção com Polipropileno é extremamente importante para a redução de emissão de Carbono (CO2). Estima-se que é gerado apenas 1,7 kg de CO2 para fabricação de 1kg de Polipropileno, um dos índices mais baixos de emissão de Carbono na indústria de plásticos. A adoção de separadores plásticos é uma tendência mundial, que visa o aumento no uso de materiais altamente sustentáveis e benéficos ao meio ambiente.

Sobre a CPL - Cartonplast Group
A CPL, empresa do Grupo Cartonplast, foi fundada em 1985 e sua matriz está localizada na cidade de Dietzenbach, na Alemanha. As Chapas Separadoras Plásticas fornecidas pela CPL são utilizadas em mais de 130 localidades distribuídas em, aproximadamente, 20 países para o transporte de garrafas vidro e latas de alumínio, com o objetivo de abastecer as indústrias de alimentos e bebidas. A multinacional é a maior fornecedora de Chapas Separadoras Plásticas reutilizáveis no sistema de Ciclo Logístico Fechado, através do modelo de negócio de Locação. Como pioneira no uso de embalagens sustentáveis, a CPL possui mais de 30 anos de experiência no fornecimento, coleta, limpeza e higienização, além da gestão logística de embalagens reutilizáveis. O modelo de negócio ofertado é o mais bem-sucedido sistema sustentável da Europa, com mais de 7.300 clientes finais nos segmentos de alimentos e bebidas em mais de 30 países. Atualmente a CPL movimenta mais de 45 milhões de separadores plásticos reutilizáveis, os quais geram aproximadamente 140 milhões de ciclos de utilização, gerenciados por 17 Centros de Serviços em todo o mundo.

Posicionamento Plastivida sobre canudos plásticos

"O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e o governador do estado, João Doria, sancionaram projeto de lei que proíbe o comércio de distribuir canudos plásticos para o consumo de bebidas.

A Plastivida é uma entidade que atua de maneira colaborativa, por meio da educação ambiental e realização de projetos nas áreas de sustentabilidade para disseminar informações precisas e científicas sobre os plásticos, suas propriedades, aplicações, reciclabilidade uso responsável e descarte adequado, com o objetivo de contribuir com o desenvolvimento social e ambiental.

Assim sendo, a entidade se posiciona contrária a normas restritivas aos plásticos, pois se trata de um material em total sinergia com o conceito de Economia Circular e com os três pilares da sustentabilidade - social, econômico e ambiental. A vilanização de um determinado produto não promove a mudança no hábito consumo e descarte das pessoas. O que faz isso é a educação ambiental.

Os canudos, por exemplo, foram criados para oferecer higiene, conforto e bem-estar às pessoas. O banimento do canudo plástico não educa o consumidor a consumir menos. Não sensibiliza os estabelecimentos comerciais (lanchonetes, bares e restaurantes) a separarem seus resíduos para a reciclagem. Não incentiva o poder público a ampliar a capilaridade dos serviços de coleta seletiva para que os recicláveis cheguem às empresas de reciclagem, que inclusive hoje atuam com ociosidade por falta de material a ser reciclado.

O banimento do canudo somente priva as pessoas de seus benefícios. Pior: a substituição dos canudos plásticos por canudos de outros materiais somente mudam o tipo de matéria prima que amanhã será encontrada jogada nas ruas, nos rios e mares.
Precisamos aprender a consumir conscientemente e a descartar corretamente os produtos – sejam plásticos ou não - após o seu uso. Só assim vamos mudar a realidade da reciclagem no Brasil.

O principio da Economia Circular só será efetivado de investirmos na difusão do consumo consciente, sobre a necessidade da redução do desperdício e a importância da coleta seletiva. Em complemento, a Economia Circular depende também de um poder público atuante no que diz respeito à coleta seletiva.
Um produto coletado e reciclado preserva o meio ambiente, gera emprego e renda. Ou seja, a sociedade, os catadores, a indústria de reciclagem, o poder público e, principalmente, o meio ambiente ganham quando são incentivadas ações voltadas à educação.

Antes tínhamos 1 tipo de canudo, o plástico, e extrema dificuldade em lidar com seu consumo consciente e descarte correto. Hoje, com as leis de banimento, temos 8 tipos de canudos e continuamos sem saber como nos relacionar com seu consumo e descarte, pois cada um exige uma forma diferente de tratamento.
O que aprendemos com o banimento? Nada, mas vamos continuar consumindo canudos exageradamente; vamos usar mais e mais água para lavar as novas versões em vidro ou alumínio, sem a segurança da higienização adequada; vamos continuar a descartar de forma incorreta as atuais alternativas de uso único.
Acreditamos que as normativas que discutem restrição e o banimento dos plásticos são um desserviço à sociedade. É a contramão do processo de sustentabilidade, pois não agregam informação, não educam e atrapalham a construção de uma sociedade mais responsável. Eliminam os benefícios dos plásticos, que levaram anos para serem desenvolvidos com seus respectivos propósitos e funções e, por fim, não geram ganhos ambientais.

Miguel Bahiense
Presidente
Plastivida"

Nouryon participa da Semana da Engenharia Química da Unicamp

A Nouryon, antiga AkzoNobel Especialidades Químicas, participa como patrocinadora da 22ª edição da Semana de Engenharia Química da Unicamp - Universidade Estadual de Campinas, a ser realizada entre os dias 30 de julho e 4 de agosto.
Durante o já tradicional evento, também conhecido como SEQ, a Nouryon estará com o seu time de Recursos Humanos presente no evento para conversar com os alunos da Unicamp. Desta maneira, eles poderão conhecer mais sobre a atuação da empresa no setor químico e também a respeito de suas oportunidades de emprego.
"Para a Nouryon é de extrema importância marcar presença na SEQ da Unicamp. Trata-se de uma oportunidade para dialogar com os potenciais futuros talentos da área química. Como a Nouryon, a Unicamp foca na excelência e na inovação, e vemos essas qualidades em seus alunos", explica Robson Rigoni, Gerente Regional de Recursos Humanos da Nouryon para a América do Sul.
A edição de 2019 da Semana de Engenharia Química da Unicamp também marca a primeira participação da companhia enquanto Nouryon.

Sobre a Nouryon
Somos uma líder global em especialidades químicas. Indústrias de todo o mundo utilizam os nossos produtos químicos, que são essenciais para a fabricação de produtos como papel, plásticos, materiais de construção, alimentos, produtos farmacêuticos e itens para cuidados pessoais. Graças aos nossos quase 400 anos de história, a dedicação de nossos 10.000 colaboradores e o nosso compromisso mútuo com o crescimento dos negócios, um forte desempenho financeiro, segurança, sustentabilidade e inovação, criamos uma empresa de nível internacional e construímos fortes parcerias com os nossos clientes. Possuímos atividades em mais de 80 países e o nosso portfólio inclui as principais marcas do mercado, tais como a Eka, Dissolvine, Trigonox e a Berol.

terça-feira, 23 de julho de 2019

Nova diretoria no Simperj – Sindicato da Indústria do Material Plástico do Rio de Janeiro

Novo Presidente do SIMPERJ, a partir de 1º de agosto, Gladstone José dos Santos Junior, da empresa Nova A3 Ind. e Comércio Ltda.

Em eleição realizada no final de junho, na sede do SIMPERJ, no auditório Ataliba Belleza Chagas, foi escolhida a nova diretoria da entidade dos plásticos do RJ que tomará posse em 01/08/2019.

Encabeça a diretoria, como Presidente, Gladstone Santos Júnior, da empresa Nova A3 Ind. e Comércio Ltda.

Presidente eleito recebeu condecoração
Na segunda-feira, 08/07, o presidente eleito do SIMPERJ, Gladstone Santos Junior, foi condecorado com a Medalha do Mérito Industrial no Rio de Janeiro.
Recebeu a comenda das mãos do presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira. Gladstone é industrial de longa carreira, responsável pela administração da Nova A3, situada no “polo industrial do plástico” no município de Três Rios.
Ele iniciará seu mandato como presidente do sindicato, no próximo dia 1º de Agosto, como já foi dito anteriormente.

Composição da nova diretoria do SIMPERJ

Divulgamos abaixo a composição da nova diretoria do SIMPERJ para o triênio 2019 - 2022:

Efetivos
Presidente
Gladstone José Dos Santos Junior - Nova A3 Ind. e Comércio Ltda

1º Vice-Presidente
Ronaldo Castilho Thomaz – Bywer Indústria de Plásticos LTDA.

2º Vice-Presidente
Cláudio Patrick Vollers - Bauen Indústrias Plásticas Eireli.

Diretor - 1º Secretário
Fernanda Coelho Brites Pinto - FL Ind. e Com. de Produtos Descartáveis LTDA

Diretor - 2º Secretário
Pedro Antonio Loureiro da Silva - Tecnoplastic Comércio e Serviços Ltda EPP

Diretor - 1º Tesoureiro
Franklin Soares Vieira - Artmed Artigos de Medição Ind. e Com. Ltda

Diretor - 2º Tesoureiro
Francisco Piragine Junior - Uf Brindes Industriais e Comércio Ltda EPP

Suplentes
Rafael Borges Sette - Nova Lamitech Laminados Plasticos Eireli
André Lima de Castro - Elc Produtos de Segurança Indústria e Comércio Ltda
Rodrigo Mesquita Carnaval - CBS – Indústria, Comércio, Importação e Exportação Ltda
Reynaldo Thurler - Indústria Thurleflex Ltda
Tullio Giunti - Center Pack Rio Industrial Ltda.
Julio Cesar dos Santos Coelho - Indústria de Plásticos S. Sebastião Ltda
Rafael Mangaravite - Fortplast Itaperuna Embalagens Plásticas Ltda

Conselho Fiscal
Efetivos
Antônio Guarino de Souza - Indústrias Plásticas Zarzur Ltda.
José Simões de Lima - J. Simões Plásticos Ind. e Com. Ltda.
Flávio Ozon Boghossian - Riopet Embalagens LTDA
Suplentes
Alexandre Alberto Nascimento Silva - Xtransformações Fabricação de Embal. e Artef. Plásticos Ltda-ME
Franklin Pires de Oliveira - Frilca Ind. e Com. de Sacos Plásticos Ltda

Delegados Representantes Junto à FIRJAN
Efetivos
Gladstone José dos Santos Junior - Nova A3 Ind. e Comércio Ltda
Ronaldo Castilho Thomaz - Bywer Indústria de Plásticos LTDA
Suplentes
Cláudio Patrick Vollers - Bauen Indústrias Plásticas Eireli.
Franklin Soares Veira - Artmed Artigos de Medição Ind. e Com. Ltda
(Fonte: SIMPERJ)

domingo, 21 de julho de 2019

PICPlast: Novos ares para o Nordeste transformador

Em parceria com a Fundação Dom Cabral, o PICPlast promoveu em Recife o seminário Vendas e Mercado?. O treinamento contou com a presença da consultora da FDC, Áurea Ribeiro, e do responsável por Novos Negócios da Braskem, Ederson Matos. Estiveram em pauta temas importantes sobre as estratégias de negócio e conceitos de Economia Circular aplicados à cadeia do plástico.
Com o apoio do Simpepe (Sindicato da Indústria de Material Plástico do estado de Pernambuco) e do Sinplast (Sindicato das Indústrias de Plásticos e Tintas do estado de Alagoas), o evento contou com a participação de mais de 40 empresas, tanto do Recife quanto de cidades do interior do estado e de outras regiões do Nordeste do país.

Logística reversa
O tema da logística reversa gerou um intenso debate entre os transformadores que compareceram ao seminário. O palestrante Ederson Matos ficou bastante impressionado com a proatividade e o interesse de todos, considerando que muitos dos executivos que participaram do treinamento possuíam cargos de alta liderança em suas empresas.
Empresa veterana em participações nos eventos do PICPlast, a Ruplast já aplica em seus processos a prática de reaproveitar resíduos para a fabricação de subprodutos. O diretor Marcello Rushansky conta que essa iniciativa partiu de um de seus clientes:






Os processos de reciclagem também já fazem parte da estrutura da Samplás há bastante tempo. Para o diretor comercial Marcos Sampaio, as empresas em geral não têm a dimensão correta da importância de se ter um produto sustentável. Para o transformador, a troca de informações sobre logística reversa só confirmou que a empresa está no caminho certo para continuar crescendo.







"Água mole em pedra dura"...
A palestra da consultora Áurea Ribeiro trouxe números e dados sobre a relação entre custo e produtividade, mostrando que nem sempre o comprador mais frequente é o melhor cliente. Para a gerente executiva do Simpepe, Solange Macedo, criar uma cultura de eventos e palestras dedicados à cadeia do plástico geraria maior competição entre os transformadores da região.






Gilvan Severiano Leite, presidente do Sinplast, reforça a importância de eventos e treinamentos como os realizados pelo PICPlast.







(Fonte: PICPlast)

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Braskem renova parceria com startup francesa especializada em desenvolvimento de microrganismos


Acordo prevê cultivo automático de microrganismos para pesquisa e desenvolvimento em químicos renováveis


São Paulo, 10 de julho de 2019 - Em linha com seu compromisso em prol do desenvolvimento sustentável, a Braskem, maior produtora mundial de biopolímeros, anuncia a renovação da parceria com a Altar, startup francesa especializada no desenvolvimento de linhagens de microrganismos em sistemas automáticos de cultivo. A parceria, iniciada há dois anos, fortalece a estratégia da companhia em pesquisa e desenvolvimento de químicos renováveis.

Segundo Iuri Gouvea, coordenador de Biotecnologia da Braskem, a tecnologia compartilhada pela Altar auxilia na automatização do cultivo de linhagens de microrganismos, sem interferência humana, possibilitando o desenvolvimento de características importantes que não seriam possíveis por meio de uma técnica manual. "Os microrganismos funcionam como biofábricas e têm apresentado rotas mais sustentáveis para a indústria química e do plástico. A parceria com a Altar complementa nossas propostas de biotecnologia e permite a pesquisa e o desenvolvimento de soluções mais inovadoras e sustentáveis para a cadeia onde estamos inseridos", afirma Gouvea.

Para Simon Trancart, CEO da Altar, o acordo entre as duas empresas permite o avanço de ferramentas muito importantes para o desenvolvimento da biotecnologia no mundo. "A Altar vem trabalhando com a Braskem nos últimos dois anos como facilitadora dos seus projetos de engenharia metabólica e nós temos boas expectativas para a parceria multiprojeto com uma líder global em química sustentável", afirma Trancart.

Um dos pilares da estratégia da Braskem para o desenvolvimento sustentável é construir um portfólio de produtos de matérias-primas renováveis. Protagonista neste setor, a empresa, que já comercializa polietileno verde e EVA verde, ambos produzidos a partir da cana-de-açúcar, acredita no potencial dos biopolímeros como ferramenta de captura de carbono, contribuindo para a redução na emissão de gases causadores do efeito estufa.

O trabalho em parceria com a Altar contribui com a capacidade de engenharia metabólica da Braskem no Centro de Pesquisa em Química Renovável em Campinas (SP), assim como nos centros de Pesquisa e Desenvolvimento em Triunfo (RS), Pittsburgh (EUA) e Boston (EUA). "A renovação da parceria nos possibilita trabalhar com os mais diversos conjuntos de projetos e contribui para reforçar a nossa posição de protagonistas na química do futuro", finaliza Gouvea.
Sobre Altar
Localizada em Evry, na França, a Altar, antiga Heurisko, é uma empresa privada de biotecnologia que se dedica ao desenvolvimento de cepas microbianas, utilizando uma plataforma fluídica proprietária para o cultivo automatizado de células. Sua tecnologia exclusiva aproveita a seleção natural para o desenvolvimento de cepas robustas com desempenho aprimorado. A Altar opera como prestadora de serviços para empresas de biotecnologia e desenvolve cepas proprietárias, sozinhas ou em colaboração com parceiros. www.altar.bio
Sobre a Braskem
Os 8 mil Integrantes da Braskem se empenham todos os dias para melhorar a vida das pessoas por meio de soluções sustentáveis da química e do plástico, engajados na cadeia de valor para o fortalecimento da Economia Circular. Com 41 unidades industriais no Brasil, EUA, México e Alemanha e receita líquida de R$ 58 bilhões (US$ 15,8 bilhões), a Braskem possui produção anual de mais de 20 milhões de toneladas de resinas plásticas e produtos químicos e exporta para Clientes em aproximadamente 100 países.