domingo, 21 de julho de 2019

PICPlast: Novos ares para o Nordeste transformador

Em parceria com a Fundação Dom Cabral, o PICPlast promoveu em Recife o seminário Vendas e Mercado?. O treinamento contou com a presença da consultora da FDC, Áurea Ribeiro, e do responsável por Novos Negócios da Braskem, Ederson Matos. Estiveram em pauta temas importantes sobre as estratégias de negócio e conceitos de Economia Circular aplicados à cadeia do plástico.
Com o apoio do Simpepe (Sindicato da Indústria de Material Plástico do estado de Pernambuco) e do Sinplast (Sindicato das Indústrias de Plásticos e Tintas do estado de Alagoas), o evento contou com a participação de mais de 40 empresas, tanto do Recife quanto de cidades do interior do estado e de outras regiões do Nordeste do país.

Logística reversa
O tema da logística reversa gerou um intenso debate entre os transformadores que compareceram ao seminário. O palestrante Ederson Matos ficou bastante impressionado com a proatividade e o interesse de todos, considerando que muitos dos executivos que participaram do treinamento possuíam cargos de alta liderança em suas empresas.
Empresa veterana em participações nos eventos do PICPlast, a Ruplast já aplica em seus processos a prática de reaproveitar resíduos para a fabricação de subprodutos. O diretor Marcello Rushansky conta que essa iniciativa partiu de um de seus clientes:






Os processos de reciclagem também já fazem parte da estrutura da Samplás há bastante tempo. Para o diretor comercial Marcos Sampaio, as empresas em geral não têm a dimensão correta da importância de se ter um produto sustentável. Para o transformador, a troca de informações sobre logística reversa só confirmou que a empresa está no caminho certo para continuar crescendo.







"Água mole em pedra dura"...
A palestra da consultora Áurea Ribeiro trouxe números e dados sobre a relação entre custo e produtividade, mostrando que nem sempre o comprador mais frequente é o melhor cliente. Para a gerente executiva do Simpepe, Solange Macedo, criar uma cultura de eventos e palestras dedicados à cadeia do plástico geraria maior competição entre os transformadores da região.






Gilvan Severiano Leite, presidente do Sinplast, reforça a importância de eventos e treinamentos como os realizados pelo PICPlast.







(Fonte: PICPlast)

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Braskem renova parceria com startup francesa especializada em desenvolvimento de microrganismos


Acordo prevê cultivo automático de microrganismos para pesquisa e desenvolvimento em químicos renováveis


São Paulo, 10 de julho de 2019 - Em linha com seu compromisso em prol do desenvolvimento sustentável, a Braskem, maior produtora mundial de biopolímeros, anuncia a renovação da parceria com a Altar, startup francesa especializada no desenvolvimento de linhagens de microrganismos em sistemas automáticos de cultivo. A parceria, iniciada há dois anos, fortalece a estratégia da companhia em pesquisa e desenvolvimento de químicos renováveis.

Segundo Iuri Gouvea, coordenador de Biotecnologia da Braskem, a tecnologia compartilhada pela Altar auxilia na automatização do cultivo de linhagens de microrganismos, sem interferência humana, possibilitando o desenvolvimento de características importantes que não seriam possíveis por meio de uma técnica manual. "Os microrganismos funcionam como biofábricas e têm apresentado rotas mais sustentáveis para a indústria química e do plástico. A parceria com a Altar complementa nossas propostas de biotecnologia e permite a pesquisa e o desenvolvimento de soluções mais inovadoras e sustentáveis para a cadeia onde estamos inseridos", afirma Gouvea.

Para Simon Trancart, CEO da Altar, o acordo entre as duas empresas permite o avanço de ferramentas muito importantes para o desenvolvimento da biotecnologia no mundo. "A Altar vem trabalhando com a Braskem nos últimos dois anos como facilitadora dos seus projetos de engenharia metabólica e nós temos boas expectativas para a parceria multiprojeto com uma líder global em química sustentável", afirma Trancart.

Um dos pilares da estratégia da Braskem para o desenvolvimento sustentável é construir um portfólio de produtos de matérias-primas renováveis. Protagonista neste setor, a empresa, que já comercializa polietileno verde e EVA verde, ambos produzidos a partir da cana-de-açúcar, acredita no potencial dos biopolímeros como ferramenta de captura de carbono, contribuindo para a redução na emissão de gases causadores do efeito estufa.

O trabalho em parceria com a Altar contribui com a capacidade de engenharia metabólica da Braskem no Centro de Pesquisa em Química Renovável em Campinas (SP), assim como nos centros de Pesquisa e Desenvolvimento em Triunfo (RS), Pittsburgh (EUA) e Boston (EUA). "A renovação da parceria nos possibilita trabalhar com os mais diversos conjuntos de projetos e contribui para reforçar a nossa posição de protagonistas na química do futuro", finaliza Gouvea.
Sobre Altar
Localizada em Evry, na França, a Altar, antiga Heurisko, é uma empresa privada de biotecnologia que se dedica ao desenvolvimento de cepas microbianas, utilizando uma plataforma fluídica proprietária para o cultivo automatizado de células. Sua tecnologia exclusiva aproveita a seleção natural para o desenvolvimento de cepas robustas com desempenho aprimorado. A Altar opera como prestadora de serviços para empresas de biotecnologia e desenvolve cepas proprietárias, sozinhas ou em colaboração com parceiros. www.altar.bio
Sobre a Braskem
Os 8 mil Integrantes da Braskem se empenham todos os dias para melhorar a vida das pessoas por meio de soluções sustentáveis da química e do plástico, engajados na cadeia de valor para o fortalecimento da Economia Circular. Com 41 unidades industriais no Brasil, EUA, México e Alemanha e receita líquida de R$ 58 bilhões (US$ 15,8 bilhões), a Braskem possui produção anual de mais de 20 milhões de toneladas de resinas plásticas e produtos químicos e exporta para Clientes em aproximadamente 100 países.

Setor químico apoia compromisso firmado entre Cade e Petrobras


Acordo promoverá a concorrência no mercado de gás natural e abertura do setor


A Abiquim apoia o Termo de Compromisso de Cessação homologado entre o Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade e a Petrobras, no dia 8 de julho, que deverá estimular a concorrência no mercado de gás natural e, consequentemente, promover uma abertura no setor.

Segundo a Abiquim, o acordo entre Cade e Petrobras contribui para a efetivação do Programa Novo Mercado do Gás. Ele gera a possibilidade da entrada de novos players no mercado, o que tornará o setor mais competitivo, e a cadeia produtiva poderá explorar seu potencial de produção de gás natural, isso permitirá à indústria química, maior consumidora do gás natural no País, ter acesso a energia e matéria-prima a preços competitivos com os do mercado internacional.

"O desenvolvimento efetivo do mercado livre de gás com independência, a desverticalização do transporte e a abertura do mercado são alguns dos pleitos antigos da entidade para aumentar a competitividade da indústria química nacional", explica o presidente-executivo da Abiquim, Fernando Figueiredo.

A perspectiva do setor químico é que o aumento da competitividade promova a redução no preço do gás natural para o consumidor residencial e industrial, atraindo investimentos em todos os setores da economia.

Pelos termos do acordo firmado entre Cade e Petrobras, a estatal precisará vender as transportadoras: Nova Transportadora do Sudeste (NTS), Transportadora Associada de Gás (TAG) e Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG), além de alienar sua participação acionária indireta em companhias distribuidoras, alienando suas ações na Gaspetro ou buscando a alienação da participação da Gaspetro nas companhias distribuidoras.

O desinvestimento deve ser concluído até 31 de dezembro de 2021. O prazo poderá ser estendido por um ano, a critério do Cade, desde que o pedido de prorrogação seja devidamente justificado pela Petrobras. Os novos compradores dos ativos da estatal não poderão possuir participação societária da Petrobras ou de suas empresas afiliadas, terem recursos financeiros para manter e desenvolver esses ativos para aumentar a competição no mercado e serem independentes em relação aos agentes dos demais elos da cadeia de gás natural. (Fonte: "Abiquim Informa")

terça-feira, 9 de julho de 2019

Simplás define nova diretoria para o triênio 2019 – 2022

A partir de 1º de agosto, Gelson de Oliveira será o presidente da entidade, sucedendo a duas gestões sob o comando de Jaime Lorandi


Gelson de Oliveira - Presidente Simplás 2019-2022


De 1º de agosto de 2019 a 31 de julho de 2022, a presidência do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) estará a cargo do empresário Gelson de Oliveira (foto). Diretor da Natiplast Tecnologia em Polímeros, 66 anos, ele sucede a Jaime Lorandi, 59 anos, diretor da Plásticos Itália, que finaliza duas gestões no comando e então passa a integrar o Conselho Fiscal do sindicato. O pleito e a apuração dos votos ocorreram dia 26 de junho, na sede do Simplás, em Caxias do Sul (RS).
As vice-presidências da entidade no período serão ocupadas por Eugênio Misturini, 44 anos, atual tesoureiro do sindicato e diretor da Lineform, e Orlando Marin, 61 anos, integrante da atual diretoria e presidente por três gestões consecutivas anteriormente, diretor da Plasmosul. A nominata executiva se completa com Leocádio Nonemacher (Sulbras – 1º secretário), Paulo Francisco Weber (Pisani – 2º secretário), Mateus Bertolini Sonda (Plasmosul – 1º tesoureiro) e Jones Pellini (Kaballa – 2º tesoureiro).
O termo formal de posse será assinado na reunião-almoço da Câmara de Indústria Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul (RS) do dia 5 de agosto e a solenidade de posse, com pronunciamento oficial do novo presidente, ocorrerá na noite de 23 de agosto, durante o jantar de outorga do Mérito Plástico Pietro Zanella e comemorativo aos 30 anos do Simplás.

Sobre o Simplás 
O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) representa mais de 400 empresas de transformação que geram cerca de 9,5 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 3 bilhões. Segundo a Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), pelo número de empresas instaladas, a região concentra o segundo maior polo de transformação de material plástico do país. E figura entre as cinco maiores geradoras de empregos do setor no Brasil. Em 2019, o Simplás completa 30 anos de fundação.

Crédito da foto: Júlio Soares – Objetiva Fotografia

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Braskem é reconhecida nos EUA por Liderança em Sustentabilidade

A multinacional brasileira foi reconhecida pelo Conselho Norte-Americano da Química (ACC) com prêmio inédito por sua atuação em prol da Economia Circular

A Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas e líder mundial na produção de biopolímeros, foi reconhecida pelo American Chemistry Council's (ACC) (Conselho Norte-Americano da Química) com o prêmio inédito Liderança em Sustentabilidade, na categoria "Environmental Protection & Circularity" ("Proteção Ambiental e Circularidade"). A atuação da companhia em prol da Economia Circular foi reconhecida por conta da parceria com o time de futebol americano Philadelphia Eagles, anunciada em 2018.

Desenvolvido pelo ACC, o prêmio tem o objetivo de reconhecer conquistas e contribuições para três áreas: Transparência e Colaboração; Proteção Ambiental e Circularidade; e Contribuições para a Sociedade. A categoria em que a Braskem foi reconhecida considera iniciativas como a redução mensurável de emissões de gases de efeito estufa e poluentes em processos produtivos; contribuições para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável; esforços para melhorar a conservação de materiais e recursos; e ações em prol da redução de resíduos por meio da recuperação, reúso e/ou reciclagem. O júri que avalia os projetos inscritos é independente e composto por cinco especialistas em sustentabilidade.

A Braskem e o Philadelphia Eagles se uniram para contribuir com o desenvolvimento de soluções ecologicamente corretas para comunidades em toda a região da Filadélfia. Juntos, iniciaram um programa de coleta e reciclagem para tampas e garrafas e outros produtos plásticos utilizados no estádio Lincoln Financial Field e no centro de treinamento do time. Até agora, foram recolhidas e destinadas para reciclagem mais de 300 mil tampas de garrafas.

O acordo de cooperação inclui, ainda, uma plataforma de educação on-line para 30 escolas públicas da região da Filadélfia, na Pensilvânia, que visa desenvolver líderes nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática.

"Ficamos honrados com reconhecimento do Conselho Norte-Americano de Química. Temos muito orgulho da parceria com o Philadelphia Eagles, que promove a Economia Circular e colabora com a inspiração profissional de alunos de toda a região da Filadélfia. Buscamos apoiar iniciativas em prol do desenvolvimento sustentável em todas as regiões onde operamos e reconhecimentos como este indicam que estamos no caminho certo", comenta Mark Nikolich, responsável pela Braskem nos Estados Unidos.

Com atuação global, a Braskem possui 41 unidades industriais entre Brasil, Estados Unidos, Alemanha e México. A companhia promove ações em prol da Economia Circular em todos os países em que atua.

Sobre a Braskem
Os 8 mil Integrantes da Braskem se empenham todos os dias para melhorar a vida das pessoas por meio de soluções sustentáveis da química e do plástico, engajados na cadeia de valor para o fortalecimento da Economia Circular. Com 41 unidades industriais no Brasil, EUA, México e Alemanha e receita líquida de R$ 58 bilhões (US$ 15,8 bilhões), a Braskem possui produção anual de mais de 20 milhões de toneladas de resinas plásticas e produtos químicos e exporta para Clientes em aproximadamente 100 países.

quinta-feira, 6 de junho de 2019

BASF construirá fábricas de plásticos de engenharia e poliuretanos termoplásticos em nova planta na China

Projeto das primeiras fábricas do site integrado Verbund, com investimento de $ 10 bilhões de dólares em Zhanjiang, está progredindo rapidamente.

Materiais de performance avançados ajudam os fabricantes de materiais eletrônicos, bens de consumo e montadoras a reduzir o peso, melhorar a segurança e a eficiência.

A BASF planeja construir fábricas de plásticos de engenharia e de poliuretano termoplástico (TPU) no seu site de produção integrada de químicos "Verbund" em Zhanjiang, na China. Estas serão as primeiras fábricas de produção a entrar em operação no site. A nova fábrica adicionará uma capacidade de 60 mil toneladas por ano de plásticos de engenharia da BASF na China até 2022, elevando a capacidade total da BASF desses produtos na Ásia-Pacífico para 290 mil toneladas por ano. Como parte do plano da empresa de implementar um conceito abrangente de produção inteligente em sua planta industrial Verbund, com base em tecnologias de ponta, as novas fábricas utilizarão sistemas automatizados de controle para embalagens com alta tecnologia e veículos guiados automaticamente.
"Menos de um ano após assinarmos o primeiro Memorando de Entendimento, temos o prazer de anunciar as primeiras fábricas a serem instaladas em nosso site inteligente Verbund em Zhanjiang", afirma Stephan Kothrade, presidente das regiões Ásia-Pacífico e Grande China. "O projeto está avançando rapidamente e os clientes no sul da China logo serão beneficiados com esses produtos inovadores para atender às suas necessidades imediatas".
A infraestrutura geral da planta Verbund em Zhanjiang será construída junto com as fábricas. A BASF Integrated Site (Guangdong) Co. Ltd (BIG), nova subsidiária integral da BASF, foi oficialmente fundada. Esta entidade supervisionará as operações do novo site Verbund, fortalecendo o compromisso da BASF com o mercado do sul da China.
"Queremos melhorar nosso suporte para os clientes no mercado do sul da China e em todo o mundo. Faremos isso por meio das novas fábricas que serão instaladas perto das indústrias em crescimento de clientes, permitindo maior eficiência com base na nossa produção inteligente. Assim, aumentaremos a velocidade de inovação e eficiência de nossos serviços", comenta Raimar Jahn, presidente da divisão de Materiais de Performance da BASF. "As empresas fabricantes de materiais elétricos e eletrônicos e montadoras estão recorrendo à BASF para ajudá-los a lidar com tendências como, por exemplo, a eletrificação de carros e miniaturização de dispositivos eletrônicos".
O crescimento do mercado de TPU, principalmente para aplicações de tecnologias avançadas, dá-se por vários fatores, incluindo o aumento de requisitos regulatórios e as crescentes expectativas dos clientes para melhorar o desempenho de sustentabilidade em áreas como mobilidade elétrica, diminuição de peso e automação. As soluções da BASF dão condições para este crescimento através de cabos e fios com segurança aprimorada para automação, materiais automotivos e materiais leves para bens de consumo. Com as necessidades dos clientes evoluindo rapidamente em todo o mundo, a BASF está alavancando seu investimento em mercados emergentes visando atender às necessidades locais e continua investindo em economias desenvolvidas.
Em julho de 2018 a BASF assinou em Berlim o primeiro Memorando de Entendimento, referente ao site Verbund, com o governo da província de Guangdong e em janeiro de 2019, a empresa assinou um acordo estrutural estabelecendo maiores detalhes acerca do plano. O site Verbund em Guangdong será o maior investimento da BASF, estimado em até $ 10 bilhões de dólares após a conclusão, operando sob a responsabilidade exclusiva da BASF. A cadeia de valor integrada conectará as fábricas upstreame downstream, com uma gama que vai desde químicos básicos a produtos e soluções mais orientados para o consumidor, atendendo setores de crescimento como bens de consumo ou transporte. O site deverá ser o terceiro maior da BASF em todo o mundo, seguido por Ludwigshafen, na Alemanha, e Antuérpia, na Bélgica.

Sobre a divisão de Materiais de Performance
"A divisão de Materiais de Performance da BASF engloba todo know-how de materiais da BASF em relação aos plásticos inovadores e personalizados. Mundialmente ativa em quatro grandes setores da indústria - transporte, construção, aplicações industriais e bens de consumo - a divisão tem um amplo portfólio de produtos e serviços combinados com um profundo entendimento de soluções de sistema orientadas para a aplicação. A estreita colaboração com os clientes e um grande foco em soluções são os principais fatores de lucratividade e crescimento. A sólida competência em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) fornece a base para o desenvolvimento de produtos inovadores e aplicações. Em 2018, a Divisão de Materiais de Performance alcançou vendas globais de € 7,65bi." Para mais informações, acesse: www.performance-materials.basf.com.

Sobre a BASF
"Na BASF criamos química para um futuro sustentável. Nós combinamos o sucesso econômico com proteção ambiental e responsabilidade social. O Grupo BASF conta com aproximadamente 122 mil colaboradores que trabalham para contribuir com o sucesso de nossos clientes em quase todos os setores e países do mundo. Nosso portfólio é organizado em 6 segmentos: Químicos, Materiais, Soluções Industriais, Tecnologias de Superfície, Nutrição e Care e Soluções para Agricultura. A BASF registrou vendas de € 63 bilhões em 2018. As ações da BASF são comercializadas no mercado de ações de Frankfurt (BAS) e como American Depositary Receipts (BASFY) nos Estados Unidos." Para mais informações, acesse: www.basf.com.


segunda-feira, 3 de junho de 2019

Terphane lança, globalmente, a linha ‘Ecophane’ de filmes sustentáveis



O principal diferencial dos novos filmes é a composição com 30% ou mais 
de PET reciclado, pós consumo, grau alimentício.

A Terphane (www.terphane.com), líder em filmes PET (poliéster) na América Latina e um importante player mundial, saiu mais uma vez à frente e lançou, globalmente, a linha Ecophane de filmes sustentáveis. Os novos filmes estão alinhados à uma demanda crescente do mercado global por filmes que garantam a produção de embalagens recicláveis e com conteúdo reciclado. No Brasil, o poliéster é a única resina que, após reciclada, pode ser usada na produção de novas embalagens, inclusive para contato com alimentos.

“A linha Ecophane é o resultado de extensivas pesquisas e muita tecnologia de ponta aplicada ao seu desenvolvimento. Conseguimos criar um filme PET com no mínimo 30% de PCR (PET reciclado pós consumo) em sua composição”, explica Marcos Vieira, Diretor de P&D Global da Terphane. Esta expertise tecnológica resultou em mais de 10 tipos de filmes da linha Ecophane, disponíveis para as mais diversas aplicações.

Além de garantirem um menor uso de matérias-primas virgens, os novos filmes da linha Ecophane, da Terphane, estão inseridos no conceito de Economia Circular: o PET descartado na forma de embalagens ou outros itens é coletado, reciclado e volta a ser embalagem.

“O desenvolvimento da linha Ecophane não vai ao encontro apenas das métricas de sustentabilidade estabelecidas pela Terphane, mas atende a uma busca dosbrand owners que querem associar suas marcas e produtos a embalagens cada vez mais sustentáveis”, completa André Gani, Diretor de Vendas & Marketing daTerphane. A Terphane estabeleceu como prioridades em sua jornada de sustentabilidade, ações ambientalmente, socialmente e economicamente positivas em suas plantas, produtos e na comunidade.

A embalagem flexível ajuda muito nesta jornada por seu excelente desempenho em termos de otimização de funcionalidade e de melhor uso dos recursos. No documento The Perfect Fit, a FPE (Flexible Packaging Europe – https://www.flexpack-europe.org/en/sustainability/the-perfect-fit.html) mostra que eficácia e eficiência são fatores fundamentais para definir a sustentabilidade de uma embalagem, levando em consideração todos os aspectos da cadeia de valor do produto, a própria embalagem, o consumo e todos os impactos no ciclo de vida. “E a embalagem flexível, mais do que se pensa é a melhor escolha. Isso porque os fabricantes de embalagens e os donos de marca podem atingir o ‘ponto ideal’ que otimiza a eficácia funcional e a eficiência do material. Isso se chama relação perfeita entre produto e embalagem”, explica Gani.

No documento, enfatiza-se ainda o fato da embalagem flexível ser altamente adaptável e um design inteligente garantir ainda mais benefícios de sustentabilidade. Esses benefícios vão desde o tamanho correto para as porções e o refechamento das embalagens para minimizar o desperdício, passando pela impressão de informações que garantam seu uso e armazenamento corretos, até embalagens funcionais, mais leves, que reduzam os impactos de armazenamento, distribuição e transporte.

Por serem mais leves, as embalagens flexíveis também reduzem os impactos ambientais e oferecem vantagens significativas para o armazenamento e transporte dos produtos. “Definitivamente as embalagens flexíveis estão na vanguarda de uma agenda cada vez mais exigente, a das ‘embalagens sustentáveis’. Embora ainda existam alguns entraves na cadeia da reciclagem, a embalagem flexível é a que mais se aproxima da ‘escolha perfeita’ em termos de solução mais sustentável disponível no mercado. E os novos filmes Ecophane surgem para fechar este circuito ao utilizarem uma boa parte das embalagens descartadas pós consumo e poderem ser novamente reciclados”, atesta Marcos Vieira.

Sobre a Terphane
Desde a sua fundação em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). Sua equipe possui ampla experiência e conhecimento em produção, revestimento e metalização de filmes. A empresa se destaca ainda por uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até a extrusão de filmes especiais. Esta característica garante um desempenho único aos filmes Terphane e a coloca como líder de mercado na América Latina e um importante player global. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar.


sexta-feira, 24 de maio de 2019

Honeywell participou da FCE Pharma entre os dias 21 e 23 de maio em São Paulo

Segue o depoimento da diretora de marketing da Honeywell, Carmem Nicacio, sobre a feira:


"Em 2016 e 2017, o mercado sofreu com a crise e foi possível perceber reflexos na FCE PHARMA. Já em 2018, houve melhora e, nessa edição 2019, é visível a movimentação da indústria farmacêutica de maneira otimista em prol da geração de negócios.

Esse ano, a Honeywell trouxe uma novidade e apresentou o novo Aclar Accel, lançado oficalmente em fevereiro em Paris . A novidade é uma extensão da linha Aclar que já possui grande participação no mercado brasileiro – um filme termoformado de alta barreira transparente que oferece benefícios comparados a outros materiais como PVdC e Alu-Alu.

Nossos convertedores terão estoque local a partir de julho no Brasil possibilitando novos estudos de estabilidade. Aclar Accel possui duas opções: Aclar accel 1.7 com 43 micras transparente e o Aclar Accel 5.4 com 137 micras para laminados opacos coloridos ou cor aluminio. Além de manter a alta barreira já presente na linha Aclar, Aclar Accel traz, como diferencial, menor custo e maior rapidez de entrega.

A Honeywell Brazil tem um time local para oferecer suporte técnico às areas de P&D e Embalagem da indústria farmacêutica que vai desde a seleção do material de embalagem correto para cada molécula, desenho de ferramental, cálculo de barreira téorica e real, etc..
"

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Termotécnica apresenta avanços em gestão, segurança e economia circular

Números mostram investimentos em energia renovável, novas parcerias para reciclagem no mundo e recorde na prevenção de acidentes de trabalho

Caldeiras funcionando com energia renovável, recorde na prevenção de acidentes com afastamento, redução no volume de resíduos destinados a aterros. Estes são alguns dos destaques que a PME mais sustentável do ano apresenta na quinta edição do seu Relatório de Sustentabilidade 2017-2018. Mantendo a metodologia internacional GRI (Global Reporting Initiative), a Termotécnica mostra neste documento os avanços fundamentados em sua Estratégia Sustentável, dividida nos pilares Perenidade do Negócio, Valorização das Pessoas e Economia Circular.
Em relação ao mercado, a empresa amplia sua participação no segmento de Agronegócio consolidando o portfólio de conservadoras DaColheita e valorizando as frutas, legumes e verduras no exterior. Essas soluções de embalagens em EPS proporcionam o aumento do shelf-life em sintonia com o Save Food, iniciativa da ONU que combate o desperdício de alimentos no mundo.
No segmento de Embalagens e Componentes, a empresa revitalizou sua estratégia comercial e realizou importantes esforços para desenvolver novas oportunidades neste mercado em que atua desde sua fundação, há mais de 50 anos. A nova marca iPack reúne um portfólio de soluções inteligentes para acondicionamento e proteção, passando a agregar conceitos de rastreabilidade, universalização e ecodesign. 
Com a sustentabilidade já incorporada ao seu DNA, a Termotécnica avançou no uso de energias renováveis – biomassa utilizada nas caldeiras das unidades. A economia circular também é colocada em prática com o Programa Reciclar EPS.
Há 12 anos, a empresa está comprometida com a coleta e reciclagem do EPS. O Programa Reciclar EPS já deu um destino mais nobre a cerca de 40 mil toneladas, volume significativo considerando que o material é composto por 98% de ar. “O Relatório de Sustentabilidade é uma importante ferramenta de aperfeiçoamento da gestão para a Termotécnica. Nesta edição, destacamos nossas conexões com os ODS (Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável) da ONU. Apontamos nossas contribuições em 14 dos 17 objetivos, promovendo transformações dentro da empresa e nas comunidades do entorno”, ressalta Albano Schmidt, presidente da Termotécnica.

Empresa conquistou grandes avanços
• Termotécnica é a PME mais sustentável do Brasil e a melhor do segmento Químico pelo Guia Exame de Sustentabilidade 2018.
• Zero Parada de Linha nos clientes.
• Parceria com a Global Packaging Alliance garante reciclagem de embalagens de EPS nos principais mercados da América e da Europa.
• Soluções DaColheita chegam ao mercado global de frutas e recebem chancela de qualidade em laboratórios internacionais.
• Menor índice de acidentes de trabalho, sendo 50% das unidades com três anos sem acidentes.
• Melhor empresa para começar a carreira em 2017.
• 5º ano nas 150 melhores para trabalhar com Índice de Felicidade que ultrapassa 82 pontos.
• Aumento de 49,8% para 62,4% na proporção de energias renováveis - biomassa.
• Redução de 18 pontos percentuais no volume de resíduos destinados a aterros.
• Mais de 40 mil toneladas de EPS pós-consumo recicladas em 12 anos.
• Maior equidade de gênero – percentual de mulheres aumentou de 36% para 47%.
• As ações e progressos da empresa realizados no período atendem a 14 dos 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela ONU.

O Relatório de Sustentabilidade Termotécnica 2017-2018 baseia-se na Matriz de Materialidade, onde os stakeholders foram ouvidos e apontaram os principais temas que gostariam de ver abordados ou aprofundados. Para isso, a Termotécnica colheu opiniões dos públicos de interesse que direta ou indiretamente se relacionam com a empresa: colaboradores, clientes, fornecedores e a comunidade do entorno da sede, em Joinville.

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Produtos garantem mais segurança às instalações elétricas

Utilizar materiais elétricos adequados em ambientes residenciais ou comerciais protegem os usuários contra acidentes ou danos materiais
Todo cuidado é pouco quando o assunto é instalação elétrica. De um pequeno choque a incêndios ou grandes descargas elétricas, diariamente pessoas sofrem os efeitos de instalações mal projetadas ou feitas em não concordância com as normas vigentes.

Acidentes e avarias podem ser evitados com o uso de produtos que garantam mais segurança às pessoas e aos imóveis. Algumas soluções simples fazem toda a diferença. A Tramontina destaca dois desses itens: as caixas de embutir e os eletrodutos corrugados.

Usadas para acomodar interruptores, tomadas e conexões de fiação na parede ou no teto, as caixas de embutir protegem os mecanismos e circuitos de distribuição. Com saída de 1/2", 3/4" e 1" na mesma unidade, as caixas pode ser encontrada nos formatos, quadrado, retangular, octogonal e para drywall, também na opção empilhável. Os modelos da Tramontina são feitos de termoplástico de alta resistência mecânica e atendem às características dimensionais previstas na norma NBR 5431.

Já os eletrodutos são tubos pelos quais passam os fios e cabos que compõem a instalação, protegendo-os de quaisquer danos mecânicos, que possam causar superaquecimento, curtos-circuitos e choques. Fabricados de material antichama, são leves, não achatam e podem ser usados em regiões litorâneas.

Os eletrodutos corrugados da Tramontina possuem baixo coeficiente de atrito, o que facilita a passagem dos cabos elétricos, e sua flexibilidade permite serem curvados para mudanças de direção, seja em paredes de alvenaria ou lajes, nos diâmetros nominais (bitola) de 20 mm (1/2”), 25 mm (3/4”) e 32 mm (1”). São comercializados nas versões leve e reforçado e estão em acordo com a norma NBR 15465.

Ambos os produtos são indispensáveis em instalações elétricas seguras. As caixas de embutir ainda possuem um apelo estético, uma vez que não deixa os circuitos aparentes. A Tramontina destaca, ainda, a importância de contar com profissionais habilitados para a configuração correta da instalação, bem como para sua execução.
 
Tramontina, o prazer de fazer bonito
A Tramontina acredita que tudo o que é feito com carinho é especial. Por isso, gosta tanto do bem-estar que as pessoas sentem quando preparam algo com as próprias mãos, quando a receita dá certo, quando veem o jardim florido ou a bicicleta do filho consertada. Essa filosofia nasceu há mais de 100 anos com Valentin Tramontina em sua pequena ferraria. Ainda hoje é mantida pela empresa, honrando os valores pelos quais foi criada e estimulando seus 8 mil funcionários para que os consumidores tenham um mix de mais de 18 mil itens entre utensílios e equipamentos para cozinha, eletros, ferramentas para agricultura, jardinagem, manutenção industrial e automotiva, construção civil, além de materiais elétricos e móveis de madeira ou de plástico, além da ampla linha de equipamentos dirigíveis. A Tramontina tem, nos Centros de Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento, um valioso suporte. Os parceiros de mercado também podem contar com cinco centros de logística e cinco escritórios regionais de vendas no Brasil para satisfazer, com agilidade, os seus clientes. Além disso, uma atuação sustentável faz com que a Tramontina faça bonito também em suas comunidades e no cuidado com o meio ambiente, valores que acompanham a marca no Brasil e nos diferentes continentes onde está presente com 16 unidades internacionais. Hoje, a Tramontina exporta para mais de 120 países. Tudo isso nos motiva. Um prazer estampado com orgulho no que a gente faz. Que nos faz criar, fazendo a diferença para a marca e seus consumidores. Esse é o nosso prazer de fazer bonito.
 
Saiba por que a Eletrik faz bonito
Fundada em 1976, na cidade de Carlos Barbosa (RS), a Tramontina Eletrik oferece o melhor em segurança, design e soluções técnicas em materiais elétricos para instalações residenciais, comerciais e industriais. Nos últimos anos, a empresa vem aplicando sua expertise de mais de 40 anos na ampliação de seu portfólio e investindo no lançamento de linhas de produtos em novos segmentos. 2018 marcou a entrada da marca no segmento de lâmpadas LED. Em anos anteriores, a empresa investiu em linhas de disjuntores e quadros de distribuição, além de divisões dedicadas aos setores de atmosferas explosivas e injeção de alumínio sob encomenda. Seu moderno parque fabril ocupa uma área construída de 40 mil m², conta com 13 células de injeção de alumínio e 18 de injeção de plástico, e possui capacidade instalada para processar 3.000 toneladas/ano de alumínio e outras 3.000 toneladas/ano de plástico, estando apta a fabricar mais de 7 mil itens dentro dos mais altos padrões de qualidade e precisão, sempre com matérias-primas certificadas. Desempenho, segurança e estética estão alinhados em todos os produtos para que o consumidor possa fazer bonito ao utilizá-los.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

FCE Pharma: Honeywell lança no Brasil Aclar Accel para embalagem de produtos farmacêuticos

Nova linha de filmes de barreira com custo mais efetivo atende às necessidades da indústria por produção e entrega mais rápidas

A Honeywell anuncia o lançamento no Brasil do Aclar Accel, um novo filme de barreira termoformável para embalagens farmacêuticas. Apresentado na FCE Pharmaa Exposição Internacional de Tecnologia para a Indústria Farmacêutica, o Aclar Accel fornece um serviço mais rápido a empresas enquanto mantém a segurança do paciente através de uma proteção otimizada para os medicamentos, atendendo à demanda em um dos mercados farmacêuticos de maior crescimento. O Aclar Accel expande a reconhecida linha de produtos de barreira termoformável, Aclar.

Os filmes da Honeywell Aclar são compostos de poli-cloro-tri-fluoro-etileno (PCTFE). Eles são claros como cristal, bioquimicamente inertes, resistentes a produtos químicos, não inflamáveis e livres de plastificantes e estabilizadores. Os filmes contribuem para o aumento da adesão do paciente às prescrições médicas com apresentações em embalagens transparentes, portáteis e amigáveis. Hoje, os filmes Aclar são utilizados em medicamentos de referência, genéricos, medicamentos sem prescrição médica, e no segmento de saúde animal.

De acordo com a Global Health Intelligenceo mercado farmacêutico latino americano deve crescer 9% de 2016 a 2022, com o Brasil - o sexto maior mercado farmacêutico do mundo - liderando a região no crescimento. Esse cenário é resultado do crescimento da população de idosos, com a maior disponibilidade de serviços de saúde e avanços na tecnologia farmacêutica e médica.

“Empresas farmacêuticas no mundo todo estão em busca de novas tecnologias de embalagem que as permitam levar seus medicamentos ao mercado de forma mais rápida enquanto reduzem os custos operacionais”, afirma Ken West, Vice Presidente e Diretor Geral de Embalagens e Compósitos da Honeywell International. “As empresas têm dado credibilidade à linha Aclar por mais de 40 anos na proteção de seus medicamentos. O Aclar Accel fornece a elas novas escolhas com custo mais efetivo e entregas mais rápidas”.

Com duas opções laminadas - transparente e opaca - o Aclar Accel da Honeywell oferece menor tempo de entrega visando proteger e estender a vida últil dos medicamentos em diferentes zonas climáticas. Enquanto o Aclar original é claro e customizável, o Aclar Accel 1700 mantém a transparência com entrega mais rápida e menor custo devido à padronização de formatos. O Aclar Accel 5400 foi projetado para laminados opacos de ultra alta barreira, com menor custo e blisters menores quando comparados ao alu-alu.

Para mais informações, acesse www.honeywell-aclar.com.

A Honeywell (www.honeywell.com) é uma empresa global de tecnologia listada na Fortune 100 vom tecnlogias que permitem que aeronaves, edifícios, fábricas, cadeias de suprimentos e trabalhadores se tornam mais conectados, tonando nosso mundo mais inteligente, seguro e sustentável.


Sobre o Aclar:
·         Os filmes da Honeywell Aclar são baseados na tecnologia de fluoropolimero politetrafluoroetileno (PCTFE).
·         Eles são claros como cristal, bioquimicamente inertes, resistentes a produtos químicos, não inflamáveis e livres de plastificantes e estabilizadores. Os filmes podem facilitar o aumento da conformidade do paciente com as prescrições médicas com apresentações em embalagens transparentes, portáteis e amigáveis.
·   Hoje, os filmes termoformáveis Aclar são usados em uma ampla faixa de mercados incluindo farmacêutica originadora e genérica, medicamentos sem receita médica e embalagens para saúde animal.

Sobre o Aclar Accel:
·         O Aclar Accel expande a linha de produtos principais da empresa de filmes de barreira termoformável Aclar.
·         O Aclar Accel, que fornece um serviço rápido a empresas enquanto mantém a segurança do paciente através de uma proteção melhorada para medicamentos para atender a demanda em um dos mercados farmacêuticos de maior crescimento.
·         Com duas opções laminadas claras e opacas para seus filmes de barreira contra alta umidade, o Aclar Accel da Honeywell fornece tempos de espera menores para a produção de embalagens para aumentar o prazo de validade e proteger os medicamentos em diversas condições climáticas globalmente.

Diferença entre o Aclar Acccel 1700 para o Accel 5400:
·         Enquanto o Aclar original é claro e personalizável, o Aclar Accel 1700 mantém a clareza, mas possui um tamanho padrão o que permite uma produção e entrega mais rápidas às empresas a um custo menor. O Aclar Accel 5400 foi projetado para laminados de barreira ultra alta opaca e é oferecido em tamanhos padrão. Ambas as medidas do Accel fornecem uma solução mais eficiente às empresas para proteger medicamentos que poderiam formar relevos em embalagem bolha de alumínio.

Outras informações:
·         Para mais informações, acesse www.honeywell-aclar.com.
·         De acordo com a Global Health Intelligence, o mercado farmacêutico latino americano está estimado a crescer 9% de 2016 a 2022 com o Brasil - o sexto maior mercado farmacêutico do mundo - liderando a região no crescimento. Esse é o resultado da alteração demográfica com a população de cidadãos idosos em crescimento com disponibilidade de cuidados de saúde universais e avanços na tecnologia farmacêutica e médica conduzindo a demanda por serviços de cuidados de saúde.
·         Traz quote de Ken West, Vice Presidente e Diretor Geral, Embalagens e Compostos da Honeywell International.


Para mais notícias e informações sobre a Honeywell, acesse www.honeywell.com/newsroom.

Tecniplas exporta tanques de PRFV para a Argentina

Reservatórios serão instalados na planta de celulose da Arauco

A Tecniplas, referência brasileira em tanques e equipamentos especiais em compósitos de PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro), acaba de despachar dois reservatórios para a Argentina. Os tanques serão instalados na fábrica de celulose que a Arauco opera na cidade de Puerto Esperanza, na Província de Misiones. 
Com 13,5 m de altura e 4,5 m de diâmetro, o tanque de maior dimensão foi projetado para armazenar até 200 m³ de dióxido de cloro – pressão de -8" WG (vácuo).“Um dos seus diferenciais é o fato de dispor de isolamento térmico garantido por chapas de poliuretano”, detalha Luís Gustavo Rossi, diretor da Tecniplas.
Já o segundo reservatório – 11,3 m de altura, 4 m de diâmetro e 135 m³ de capacidade – será utilizado no armazenamento de cloro, solução de clorato e hipoclorito de sódio a uma temperatura de 80 ºC e sob pressão atmosférica. “Seu projeto construtivo contempla uma inclinação interna de 2%, o que possibilita o esgotamento rápido e seguro do tanque”.
Ambos foram produzidos em peça única, a despeito das dimensões, e contam com uma série de bocais e acessórios, o que tornou ainda mais complexa a fabricação. Fornecidos com data books e memórias de cálculo estrutural, os reservatórios fabricados pela Tecniplas estão aptos a resistir a cargas de vento de até 45 m/s (162 km/h), conforme a ABNT NBR 6123.
Durante a fabricação dos tanques, lembra Rossi, a Arauco fez uma série de inspeções na fábrica da Tecniplas em Cabreúva, no interior de São Paulo. “Nosso processo fabril e sistema de qualidade foram aprovados sem ressalvas pela Arauco, que nos homologou como fornecedora estratégica das plantas situadas na Argentina e no Chile”. De capital chileno, a empresa tem equipamentos da Tecniplas operando ininterruptamente desde a década de 1990.
Em 2018, as exportações responderam por 22% do faturamento da Tecniplas. Para este ano, Rossi acredita que a fatia tende a ser ainda maior, em função dos grandes projetos que estão para acontecer na América Latina. “Daí levando em conta não só o setor de celulose e papel, mas também de mineração e químico”, completa.

Sobre a Tecniplas
Fundada em 1976, a Tecniplas é a maior fabricante brasileira de tanques e equipamentos especiais de compósitos em PRFV (plástico reforçado com fibras de vidro). Situada em Cabreúva (SP), onde mantém uma fábrica de 32 mil m², a Tecniplas atende os setores de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes, alimentos e bebidas e saneamento básico. Para mais informações, acesse www.tecniplas.com.br

Parceria entre Braskem e Earth Animal amplia uso de embalagens feitas com Plástico Verde

Mais de 150 marcas no mundo já usam plástico de origem renovável em embalagens
Reforçando a estratégia de apostar em produtos sustentáveis, a Braskem, maior produtora mundial de biopolímeros, deu mais um passo na ampliação do uso de embalagens feitas a partir de matérias-primas renováveis na indústria do plástico. A empresa celebra a parceria com a Earth Animal, grupo americano fabricante de produtos veterinários, que acaba de lançar a linha de ração para cães Dr. Bob Goldestein's Wisdom™, para distribuição nos Estados Unidos em embalagens produzidas com o Plástico Verde I'm green™ da Braskem. A parceria amplia o número de marcas que já usam o polietileno verde – já são mais de 150 no mundo inteiro.

Feito à base de cana-de-açúcar, o Plástico Verde I'm green™ da Braskem foi o primeiro polietileno de origem renovável a ser produzido no mundo. Ele captura e fixa gás carbônico da atmosfera durante a sua produção, colaborando para a redução da emissão dos gases causadores do efeito estufa. Com as mesmas propriedades, desempenho e versatilidade do polietileno de origem fóssil, a resina renovável é 100% reciclável, podendo ser utilizada nas cadeias produtivas do plástico e da reciclagem convencionais.

O Plástico Verde começou a ser produzido em escala industrial e comercial pela Braskem em 2010. No Brasil, grandes empresas já utilizam o produto em suas embalagens, a marca carioca Café Favorito; o Grupo Lego, fabricante de brinquedos; e a Guarany, produtora de equipamentos para o agronegócio.

"Acreditamos que o plástico tem um papel muito importante no desenvolvimento sustentável, pois pode evitar o desperdício e aumentar a eficiência em diversos setores da economia. Por isso, a Braskem segue empregando esforços para continuar ampliando não apenas seu portfólio I'm green™, mas também o rol de iniciativas globais que possam sensibilizar a cadeia do plástico em prol da Economia Circular, compromisso que assumimos em 2018, e estimular a sociedade na atenção para o consumo consciente", afirma Gustavo Sergi, diretor de Químicos Renováveis da Braskem.

As embalagens da nova linha de ração da Earth Animal, utilizando o Polietileno Verde como matéria-prima, estão sendo produzidas por meio de parceria com a Peel Plastics. "A Earth Animal sempre foi apaixonada por como, por quê e o que fazemos. A sustentabilidade é uma parte importante do nosso DNA. Por mais de 40 anos nossa promessa tem sido preservar e melhorar a qualidade de vida dos animais e das pessoas e, dado tanto o nosso compromisso como o da Braskem, essa parceria aconteceu de forma natural", diz Stephanie Volo, vice-presidente de Marketing e Sustentabilidade da Earth Animal.

O gerente de desenvolvimento de negócios da Peel Plastic Products, Weijia Zhang, afirma que "com ênfase em oferecer o máximo de nutrição para os pets e seus pais, as exigências de embalagem da Earth Animal se alinharam perfeitamente às propriedades do Plástico Verde I'm greenTM. Estamos empolgados com a combinação de materiais de alto desempenho com nossa expertise em produção para produzir uma embalagem dedicada a atender às necessidades de consumidores e do mercado", diz Zhang.

Segundo o gerente comercial da equipe de Renováveis da Braskem na América do Norte, Joe Jankowski, a parceria está conectada com o desejo cada vez maior de consumidores por materiais mais sustentáveis e recicláveis. "Como a transparência, qualidade e sustentabilidade estão no cerne dos negócios da Earth Animal, está sendo muito construtivo ajudar a levar essa mesma abordagem para os consumidores e contar com a expertise da Peel Plastics", finaliza Jankowski.

Sobre a Braskem
Os 8 mil Integrantes da Braskem se empenham todos os dias para melhorar a vida das pessoas por meio de soluções sustentáveis da química e do plástico, engajados na cadeia de valor para o fortalecimento da Economia Circular. Com 41 unidades industriais no Brasil, EUA, México e Alemanha e receita líquida de R$ 58 bilhões (US$ 15,8 bilhões), a Braskem possui produção anual de mais de 20 milhões de toneladas de resinas plásticas e produtos químicos e exporta para Clientes em aproximadamente 100 países.

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Plástico não é problema: plástico, na maior parte das vezes, é solução!


O diretor do Jornal de Plásticos e também responsável por esse blog, Ângelo Chagas, tenho por hábito assistir, todas as manhãs, o jornal local da Tv Globo “Bom dia Rio”.

Ontem, entretanto, tive que sair mais cedo de casa e não assisti o programa. Para minha sorte, meu amigo Marcelo Oazen, presidente em exercício do Simperj - Sindicato da Indústria do Material Plástico do Estado do RJ, teve a gentileza de me informar que no telejornal foi exibida uma matéria intitulada: “Projeto garante cadeiras de rodas para pacientes da ABBR”.

O projeto, citado na matéria, é o “Rodando com tampinhas”, uma iniciativa da entidade máxima das indústrias plásticas do Estado do Rio de Janeiro.

Essa matéria pode ser assistida em https://globoplay.globo.com/v/7595946/programa/ .

No site do Simperj - https://www.simperj.org.br/ , na home, encontra-se a chamada para a matéria “Sementes do Plástico e Rodando com Tampinhas”. Não deixem de acessá-la!

sexta-feira, 3 de maio de 2019

INOVA PLASTIC evidenciou na FEIPLASTIC o caráter inovador do material plástico

O novo espaço ofereceu conteúdo de qualidade em debates e palestras, experiências divertidas e soluções plásticas que apontam para o futuro do setor

O robô inteligente e interativo Dubô, quando não circulava pelo Expo Center Norte promovendo entre os visitantes a nova arena INOVA PLASTIC, fazia o papel de recepcionar os visitantes nesse que foi o grande espaço de inovação da 17ª FEIPLASTIC - Feira Internacional do Plástico, realizada na última semana em São Paulo. O personagem era apenas o primeiro indício da experiência tecnológica e do conteúdo atrativo que o visitante encontraria no local.

Dentre as experiências à disposição do público na arena, estava a oportunidade de andar por um circuito fechado em um patinete elétrico que, feito em parte de plástico, é mais leve do que a maioria encontrada no mercado. Ainda em meios de transporte, o carro elétrico Renault TWIZY, feito em 75% de plástico, representou o futuro do setor automobilístico em se tratando de mobilidade elétrica com zero emissão de poluentes.

O Movimento Plástico Transforma – iniciativa do PICPlast, criado pela ABIPLAST e pela Braskem – usou o entretenimento para levar educação e conscientização ao público do INOVA PLASTIC. No local, o visitante podia desafiar um robô a resolver um cubo mágico, desenhar com canetas 3D (criando desenhos com filamento plástico), entender o funcionamento de um sistema de autoirrigação em hortas automatizadas e conhecer o jogo virtual Eckoblocks, no qual é possível gerenciar uma cidade de maneira sustentável por meio da reciclagem. Nessa área, a principal novidade apresentada foi uma impressora 3D com quatro compartimentos para impressões simultâneas.

Os visitantes do espaço puderam assistir ainda a uma programação de palestras e debates que incluiu temas sobre sustentabilidade, o futuro do plástico e do mercado, o papel das startups na inovação industrial e as transformações da era digital, como economia circular, economia compartilhada, veículos autônomos e inteligência artificial.

"Com 50 mil visitantes de 30 países em cinco dias, a feira se consolidou como o maior evento do setor na América Latina e mostrou o que a indústria tem de mais moderno e inovador em matéria de plástico", afirmou José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST), responsável pela iniciativa da FEIPLASTIC e do INOVA PLASTIC.

Reconhecimento de cases
Diversos cases foram apresentados em painéis e expostos pela arena. O conceito de ciclo fechado de produção da JBS Ambiental foi um dos destaques. A empresa transforma todos os resíduos sólidos gerados por suas unidades de negócio em soluções e produtos para uso interno. Por sua vez, a ExxonMobil se juntou à Atando Cabos para o desenvolvimento de uma solução que permitisse reciclar cordas marítimas, coletadas na Patagônia, em caixas agrícolas, que ficaram expostas no INOVA PLASTIC. Já a Unilever atraiu público com suas embalagens feitas com material reciclado; assim como chamaram a atenção as novas garrafas transparentes da Amcor para leite. A remoção de tinta de plásticos impressos, uma solução da Deink Brasil, também teve visibilidade.

Junto a esses, os cases da Sabic (solução para reforços estruturais de tampas traseiras de automóveis), da Lubrizol (para arranhões em molduras de óculos) e da Solvay (para melhores radiografias odontológicas) foram premiados no último dia do evento.
"A participação desses cases foi muito importante para o INOVA PLASTIC e as soluções apresentadas são importantes para o Brasil. Neste ano, estamos esperando uma arrancada do País e a inovação vai ter um papel primordial nesse cenário. Contamos com a ajuda de todas as empresas", disse Roriz no encerramento da programação.

O vice-presidente da Reed Exhibitions Alcantara Machado, Paulo Octavio de Almeida, ressaltou que, embora em sua primeira edição, o projeto INOVA PLASTIC se mostrou extremamente relevante. "É importante entender a inovação e a colaboração que deve existir entre os diversos players do setor. Existem muitos outros cases de sucesso e nossa intenção é ampliar cada vez mais esse espaço", finalizou.

O Programa RC - Reciclagem de Cartões foi selecionado para o banco de Boas Práticas da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P)

A iniciativa está entre as 125 selecionadas pelo Ministério do Meio Ambiente e ONU Meio Ambiente em chamada pública “Boas Práticas A3P”

O Programa RC - Reciclagem de Cartão, por meio do Papa Cartão®, apoiado pelo Instituto Brasileiro do PVC e Plastivida desde seu início, foi uma das iniciativas selecionadas em chamada pública, realizada no final do ano passado pelo Ministério do Meio Ambiente e ONU Meio Ambiente, para compor o banco de Boas Práticas da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P). O banco é um registro das melhores práticas na área de responsabilidade socioambiental de órgãos e instituições parceiras da A3P e tem o objetivo de identificar e divulgar ações que apresentaram resultados positivos e concretos para auxiliar gestores públicos a implementarem programas de sustentabilidade em suas regiões.

No total, foram selecionadas 125 iniciativas distribuídas pelos 11 temas de sustentabilidade propostos e que estão sendo divulgadas pelo programa Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) pelo site http://a3p.eco.br. O Programa RC - Reciclagem de Cartão está classificado no tema Gestão de Resíduos.
O Programa RC – Reciclagem de Cartão , idealizado pela RS de Paula, fabricante de cartões de PVC, tem como base o Papa Cartão®, máquina que realiza a coleta e trituração de cartões de PVC e outros plásticos que não tenham mais uso (débito, crédito, seguro-saúde, fidelidade, cartões-presentes, cartões telefônicos, bilhete único e outros), inclusive os que contenham chip e tarja magnética. O material coletado é utilizado na fabricação de diversos produtos, tais como porta copos, placas de sinalização, caixas, marcadores de páginas, cartões de visitas, entre outros.

Desde o início do Programa, em 2012, já foram coletados mais de 3.061.615 cartões. Presentes em diversos estados brasileiros (Alagoas, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco e Santa Catarina, além do Distrito Federal), os coletores Papa Cartão® estão instalados em 78 locais dentre eles universidades, órgãos públicos, empresas, shoppings, bancos, aeroporto, academias, unidades de saúde, estações de metrô, condomínios, institutos, escolas, entre outros.

Em 2015, foi lançada a Campanha de Reciclagem de Cartões, fruto de uma parceria entre o Instituto Brasileiro do PVC, Plastivida e R.S. de Paula com o Ministério do Meio Ambiente. Por meio da rede A3P, a campanha é realizada na Esplanada dos Ministérios. Na época do lançamento foram instalados equipamentos em 11 autarquias. Atualmente, há 15 equipamentos Papa Cartão® instalados e desde o início da Campanha foram coletados mais de 372.375 cartões.

Os resíduos são periodicamente coletados pela R.S. de Paula, e encaminhados para sua unidade de reciclagem, onde são transformados em novos produtos.
O presidente do Instituto Brasileiro do PVC e da Plastivida, Miguel Bahiense, explica que as entidades buscam sempre apoiar campanhas que tenham como objetivo levar informação, incentivar as boas práticas de consumo e descarte responsáveis. “É fundamental proporcionar um diálogo com a população sobre a importância dos plásticos no dia a dia e de sua reciclagem e assim, modificar a relação da sociedade com o material visando o bem estar das pessoas e a preservação ambiental”, afirma Bahiense.

Sobre o A3P - A A3P é um programa do Ministério do Meio Ambiente criado como resposta da administração pública à necessidade de enfrentamento das graves questões ambientais. O programa integra o Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis (DPCS), que, por sua vez, faz parte da Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental (SAIC) do Ministério do Meio Ambiente.

Sobre o Instituto Brasileiro do PVC – O Instituto Brasileiro do PVC é uma associação de classe que existe para reunir e promover conhecimento técnico-científico sobre o PVC, com a crença de que através da sua versatilidade podemos oferecer soluções sustentáveis para a saúde, habitação e bem-estar da sociedade. Desta forma buscamos disseminar a correta percepção da sustentabilidade do PVC na sociedade. Para mais informações: www.pvc.org.br

Sobre a Plastivida – A Plastivida é o instituto socioambiental dos plásticos e atua de maneira colaborativa, por meio da educação ambiental, para disseminar informações precisas e científicas sobre os plásticos - suas propriedades, aplicações, reciclabilidade, além do uso responsável e descarte adequado - a fim de contribuir com o desenvolvimento social e ambiental. Para mais informações: www.plastivida.org.br

Sobre a R.S. de Paula – A empresa R. S. de Paula, especializada na produção, personalização e manuseio de cartões de PVC desde 1997, é pioneira em promover a circularidade do cartão plástico pós-uso. Em 2011 reinventou o descarte do cartão plástico, habitualmente descartado no lixo pelas pessoas, através da máquina Papa Cartão® de forma segura e correta. Todos os cartões coletados retornam para a R.S. de Paula para serem retransformados em novos produtos, se tornando único no mundo. Para mais informações: www.papacartao.com.br

quinta-feira, 2 de maio de 2019

PICPlast apresenta na Agrishow soluções em plástico que potencializam o agronegócio


Iniciativa marca presença em mais uma edição da maior

feira de agronegócio do Brasil, levando 19 empresas
e 25 aplicações.

Aumento de produtividade, otimização de recursos e melhores condições de vida e trabalho no campo. Estes são os principais atributos das soluções em plástico que estão expostas no estande do Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast) na Agrishow 2019, que acontece de 29 de abril a 3 de maio, em Ribeirão Preto, São Paulo. Em continuidade à estratégia das últimas participações, o PICPlast dá a oportunidade as empresas que usam o plástico como matéria-prima em aplicações que visam contribuir para o desenvolvimento e crescimento do agronegócio brasileiro de participarem do evento. O PICPlast é fruto da parceria entre a Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST), e a Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas. 

Em busca de ampliar a exposição das soluções em plástico para o agronegócio, o PICPlast investiu em um estande 25% maior em relação à edição anterior. Ao todo, 19 empresas estão presentes expondo 25 soluções e seus diferenciais para as atividades agrícola e pecuária. 

“A presença do PICPlast na Agrishow reforça nosso propósito de evidenciar o plástico como solução que oferece competitividade, com potencial de impulsionar ainda mais a produtividade para o agricultor. Além disso, buscamos construir parcerias que desenvolvam possiblidades para o reaproveitamento das soluções em plástico após o uso, fortalecendo a economia circular na agricultura”, explica Edison Terra, Vice-Presidente Executivo da Braskem. Já o presidente da ABIPLAST, José Ricardo Roriz Coelho, destaca a iniciativa do PICPlast como um fomentador de negócios. “O plástico está presente em diversas soluções importantes na agricultura e a ocasião é pertinente para apresentá-las ao público e alavancar os negócios desse mercado”.

Para o estande, foi criado um tablado especial em madeira plástica, uma solução da Ecowood totalmente sustentável feita a partir de resíduo plástico pós-consumo de Big Bags industriais, com mais durabilidade em relação à versão vegetal.


Outra novidade deste ano é o Tanque de Combustível, desenvolvido para manter líquidos em atmosfera adequada. A peça, produzida pela empresa Resiplastic, mantém a qualidade do produto armazenado, possui alta produtividade em relação ao seu equivalente e oferece baixo investimento em moldes, além de permitir design personalizado para cada montadora. Há ainda mais uma solução de armazenamento: o Rototanque, da Rotoplastyc. Produzido em polietileno, garante a qualidade do líquido armazenado de forma estática e sua tecnologia permite um melhor aproveitamento e gerenciamento de água e líquidos na lavoura. 

O estande também traz, pela primeira vez, a Malha Termorefletora, da Ginegar, produzida a partir de polietileno coextrusado com alumínio. Esta malha evita o crescimento e desenvolvimento de plantas daninhas, mantém a umidade do solo e reduz a lixiviação de nutrientes em épocas de chuva. 

Outra aplicação que estará no espaço do PICPlast é o Cocho para Suplementação Mineral. Produzido pela Asperbras a partir do moderno e tecnológico sistema de rotomoldagem, o cocho suporta as condições mais adversas existentes no campo. O sistema tem rápida adaptação do animal, além de possuir diferenciais inovadores por ser fácil de montar, leve, 100% reciclável e, principalmente, de longa vida útil. 

A empresa Brasilit estreia a participação na Agrishow, com suas Telhas de Fibrocimento, reforçadas com fios sintéticos em polipropileno. As telhas não possuem amianto, são resistentes à umidade, cupins, ao fogo e ao impacto. Proporcionam conforto acústico e térmico e são fortes no quesito durabilidade.

Serviço: PICPlast na Agrishow
Nº estande: F21C1
29/04 a 03/05
Ribeirão Preto/SP